Acesso ao principal conteúdo
Moçambique

Filipe Nyusi admitiu indícios de crime nas dívidas ocultas

Filipe Nyusi
Filipe Nyusi Miguel Martins/RFI

Em Moçambique, o presidente da República, Filipe Nyusi, admitiu haver indícios de crime na contracção da dívida pelas empresas EMATUM , Mam e Proindicus. As declarações foram feitas com base nos resultados do relatório da Kroll.

Publicidade

Apontando os resultados do relatório da auditoria da Kroll, o Presidente de Moçambique, Filipe Nyusi, reconheceu haver indícios de crime na contracção da divida de dois mil milhões de dólares pelas empresas MAM, EMATUM e PROINDICUS, entre 2013 e 2014.

Filipe Nyusi falava no encerramento da sexta sessão da FRELIMO e disse que é tempo de deixar a justiça trabalhar no processo sobre as dívidas ocultas de Moçambique, dentro do espírito da separação de poderes.

No seu discurso de encerramento do encontro de dois dias, Nyusi anunciou a elaboração pelo seu governo de um plano de acção para o reforço dos mecanismos da dívida pública e para reforçar a transparência da coisa pública.

Por outro lado, o chefe de Estado assegurou aos membros do seu partido que o executivo vai colaborar com a Procuradoria-Geral da República na implementação das recomendações da Kroll, mas sem pré julgamentos, para que não se corra o risco de usurpar competências dos que detêm o respectivo poder.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Faça o download da aplicação

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.