Acesso ao principal conteúdo
Moçambique

Moçambique: electricidade mais cara 10%

Em Moçambique apenas um quinto da população tem acesso à rede pública de electricidade.
Em Moçambique apenas um quinto da população tem acesso à rede pública de electricidade. REUTERS/Mike Hutchings

Em Moçambique a tarifa de energia aumentou a partir de hoje de cerca de 10%, mas os preços mantêm-se para os consumidores com renda baixa e pequenos agricultores.

Publicidade

A energia eléctrica está mais cara de cerca de 10% em Moçambique a partir desta terça-feira (15/08).

A nova tarifa incide sobre os consumidores domésticos com mais posses, indústrias e clientes que desenvolvem actividades comerciais.

Ou seja, os consumidores domésticos, que são cerca de 90% dos clientes da Electricidade de Moçambique - EDM - passam a pagar, a partir de hoje, 6.95 meticais (0,90 cêntimos de euro) por kilowatt/hora, contra os anteriores 5.14 meticais (0,71 euros).

Orfeu Lisboa, correspondente em Maputo

A tarifa anterior mantém-se para os clientes de baixa renda e para os que praticam agricultura de baixa intensidade.

O Porta-voz da empresa pública Electricidade de Moçambique EDM, Luís Amado justifica esta alteração nas tarifas pela disparidade entre o preço de compra e venda de energia.

"O nosso preço de venda é de cerca de 700 mil dólares, mas o nosso custo de compra de energia, para podermos fornecer os nossos clientes é de cerca de 9,5 milhões de dólares...portanto entramos numa situação em que a tarifa não reflecte aquilo que são os custos...e coloca a EDM numa posição bastante desconfortável em relação à sua capacidade de investir, de manter os clientes".

O último reajuste da tarifa de energia, por quilowatts em Moçambique ocorreu há dez meses.

O FMI saudou esta medida, que preserva a tarifa social e os consumidores de baixa renda, limitando também as perdas operacionais da EDM e protegendo o orçamento do Estado.

Actualmente a rede pública de electricidade em Moçambique abrange apenas um quinto da sua população, estimada em 27 milhões de pessoas, mas segundo o Banco Mundial grande parte da população recorre a outros sistemas alternativos para obter energia.

Moçambique quer levar electricidade a toda a sua população até 2030, cumprindo assim os Objectivods de Desenvolvimento sustentável definidos pela ONU e para tal investe anualmente 91 milhões de euros em programas de electrificação.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.