Acesso ao principal conteúdo
Moçambique

Moçambique: Filipe Nyusi acusa parlamento de lentidão

Filipe Nyusi, Presidente de Moçambique.
Filipe Nyusi, Presidente de Moçambique. THIERRY CHARLIER / AFP

Presidente Filipe Nyusi denuncia lentidão na apreciação pelo parlamento do pacote de leis sobre descentralização, documento que o Chefe de Estado considera importante para o alcance da paz efectiva, que se pretende em Moçambique.

Publicidade

Está demorado, o desfecho dos debates sobre a revisão da Constituição da República para acomodar os consensos alcançados no diálogo político com o lider da Renamo Afonso Dhlakama, reconhece o Chefe de Estado moçambicano Filipe Nyusi e aponta culpados.

"Estamos a sentir agora que os nossos compatriotas da Assembleia, não sei se todos, mas alguns estão a exigir novas coisas e coisas difíceis, e vão atrasar o processo...existem muitos moçambicanos na expectativa, que querem ver esse país com a paz efectiva, incluindo os nossos irmãos, aqueles que estão ali do lado da Renamo, precisamos de acarinhar para ver se saem de lá, espero que não haja gente que queira que aquelas pessoas permaneçam infinitamente lá".

Sem especificar que "exigências de coisas difíceis", nem quem são os autores das mesmas, Filipe Nyusi acusou recentemente a Renamo de colocar novos pontos na proposta de revisão pontual da Constituição para a descentralização, que deveria começar a ser aplicada nas próximas eleições autárquicas de 10 de Outubro.

O estadista moçambicano falava no final da sua presidência aberta à província de Maputo, que terminou este domingo (29/04) durante a qual apelou à celeridade, isto quando passam já quase três meses desde que o pacote sobre a descentralização foi submetido à Assembleia da República, em Fevereiro último e em Março as bancadas da Frelimo, Renamo e MDM anunciaram ter chegado a acordo sobre as linhas gerais da revisão constitucional.

 

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.