Acesso ao principal conteúdo
Moçambique

Tráfico de heroína aumenta em Moçambique

Moçambique, onde aumenta tráfico de heroíina, serve de corredor da droga para Europa
Moçambique, onde aumenta tráfico de heroíina, serve de corredor da droga para Europa DR

O tráfico de heroína aumenta em Moçambique, um dos principais corredores na África austral da droga vinda do Afeganistão para a Europa, segundo o relatório do projecto Enact, financiado pela Uniao europeia. Maputo, admite o facto mas garante que o combate ao tráfico de estupefacientes é uma prioridade do país.

Publicidade

Moçambique é apontado como um dos principais corredores do tráfico de heroína na África subsaariana. O dado consta de um relatório do projecto Enact, financiado pela União Europeia e já divulgado mundialmente.

O estudo revela ainda que passam pelo território moçambicano, anualmente, entre 10 a 40 toneladas desta droga. 

A Procuradoria-geral da República, através, de Arão Macuácua, reagiu à divulgação do estudo "A Costa da Heroína". 

"O relatório vem indicar algumas fragilidades e nós aceitamos esforços para combater e estancar o crime de tráfico de droga." 

Por seu lado, o porta-voz do Comando-geral da Polícia, Inácio Dina, garante que o combate ao tráfico de estupefacientes é uma prioridade do país.   

Ainda de acordo com o estudo "A Costa da Heroína" a droga entra pela costa do Indico, no caso, de Moçambique, pelo norte e segue por estrada para a vizinha África do sul, onde é distribuída, para vários mercados, sobretudo, para a Europa.

O estudo da Enact, revela, que além do mar, os traficantes usam a via terrestre para fazer chegar a droga a Moçambique e aponta o exemplo da fronteira com a Tanzânia.   

De Maputo, o nosso correspondente, Orfeu Lisboa. 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Faça o download da aplicação

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.