Acesso ao principal conteúdo
MOÇAMBIQUE

Eleições autárquicas repetiram-se em Marromeu

Populares aguardam pela sua vez para votar para as eleições autárquicas, Moçambique, 10 de outubro de 2018
Populares aguardam pela sua vez para votar para as eleições autárquicas, Moçambique, 10 de outubro de 2018 ANTÓNIO SILVA/LUSA

O município de Marrameu, no centro de Moçambique, repetia hoje as eleições autárquicas, realizadas no passado dia 10 de Outubro, que foram invalidadas pelo Conselho Constitucional.

Publicidade

As eleições realizadas no passado mês de Outubro no Município de Marromeu, centro de Moçambique, com oito mesas de voto, foram repetidas nesta Quinta-Feira.

A repetição da votação marcada para hoje, foi decidida na segunda-feira pelo Conselho de Ministros, que acolheu uma proposta de data feita pela Comissão Nacional de Eleições, conforme pevisto na lei eleitoral moçambicana.

A ocorrência de graves irregularidades durante o escrutínio em Marrameu, está na origem desta repetição, que foi invalidada pelo Conselho Constitucional.

Ao escrutínio concorreu a Frente da Libertação de Moçambique (Frelimo), partido no poder, Resistência Nacional Moçambicana ( Renamo), maior partido de oposição, e o movimento Democrático de Moçambique (MDM), terceiro maior partido.

A Frelimo venceu as eleições autárquicas de 10 de Outubro em 43 das 53 autarquias do país, a Renamo ganhou em oito e o MDM numa autarquia.

João Filipe é um dos 5940 eleitores que estão desde as primeiras horas desta quinta-feira a votar pela eleição do novo Presidente do Conselho Autárquico de Marromeu na província de Sofala no centro de Moçambique e encorajava os demais eleitores a votar.

 

A votação decorre em resposta à decisão do Conselho constitucional que ordenou a repetição das quintas eleições  autárquicas nesta vila por se terem constatado varias irregularidades nas eleições autárquicas de 10 de Outubro. 

Jorge Donquene é o Director do Secretariado Técnico de Administração Eleitoral de Sofala ( STAE), ele confirma um ambiente ordeiro no processo.

 O processo de votação que decorre em oito mesas montadas na Escola Primaria Completa 25 de Junho e na Escola Samora Machel está prestes a encerrar.

Participam deste processo de votação que conta com a presença de 10 observadores nacionais e de várias organizações, candidatos dos três  partidos políticos com assento no parlamento. 

Confira aqui a reportagem do nosso correspondente Orfeu Lisboa.

selfpromo.newsletter.titleselfpromo.newsletter.text

selfpromo.app.text

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.