Acesso ao principal conteúdo
Moçambique

Alerta laranja em Moçambique

Cheias em Moçambique
Cheias em Moçambique Reuters

O governo moçambicano acciona o alerta laranja no país. O objectivo é criar condições para a implementação de acções de prevenção face à ocorrência de fenómenos naturais, que poderão afectar milhares de moçambicanos no pico da época chuvosa.

Publicidade

Desde Outubro, as chuvas, acompanhadas de ventos fortes e descargas atmosféricas, já provocaram 15 mortes, tendo, afectado cerca de 11 mil pessoas. Perante esta situação, o Instituto Nacional de Gestão de Calamidades (INGC), através da sua Directora-geral Augusta Maita, propôs ao governo que fosse accionado o alerta laranja.

“Gostaríamos de propor a activação deste alerta para nos permitir elaborar de forma mais efectiva os planos operacionais de resposta, e também prestar assistência pontual às vítimas dos diferentes efeitos extremos.

Na verdade já estamos a prestar essa assistência, mas acreditamos que podemos agir com maior incidência se accionarmos efectivamente este alerta”, adianta a Directora-geral Augusta Maita

Segundo o Primeiro-Ministro moçambicano Carlos Agostinho do Rosário é preciso que mais mortes resultantes de fenómenos da natureza sejam evitadas.

“A seca está aí no norte de Gaza, por exemplo.

A terra está a tremer em Manica. E nós não podemos estar alheios a estes fenómenos.

Nós somos um governo que deve actuar na prevenção”, afirma Primeiro-Ministro moçambicano Carlos Agostinho do Rosário

O alerta laranja institucional foi decretado no final do Conselho Coordenador de Gestão de Calamidades.

Oiça aqui a correspondência de Orfeu Lisboa

 

 

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.