Acesso ao principal conteúdo
Moçambique

Renamo em congresso para escolher novo líder

Apoiante da Renamo.
Apoiante da Renamo. GIANLUIGI GUERCIA / AFP

Desde hoje e até Quinta-feira, a Resistência Nacional Moçambicana (Renamo) está reunida no seu sexto congresso, no distrito de Gorongosa, província de Sofala, no intuito de eleger o sucessor de Afonso Dhlakama, líder do principal partido da oposição em Moçambique, falecido em Maio do ano passado após quase 40 anos a liderar o partido.

Publicidade

Nesta reunião que junta 700 delegados do partido assim como 300 convidados, deve ser determinado quem vai ser o rosto do partido mas também quem o vai representar automaticamente nas presidenciais que decorrem em simultâneo com as legislativas e as provinciais no próximo 15 de Outubro.

Para o cargo de líder da Renamo, já quatro personalidades entraram oficialmente na corrida: Ossufo Momade, coordenador interino eleito após a morte de Afonso Dhlakama, antigo guerrilheiro e antigo secretário-geral da Renamo entre 2005 e 2012, Manuel Bissopo, secretário-geral do partido que já perdeu em duas eleições autárquicas, Elias Dhlakama, general na reserva das Forças Armadas de Moçambique e irmão mais novo de Afonso Dhlakama, e ainda Hermínio Morais, antigo comandante da guerrilha do partido, Ministro da defesa do governo sombra desde 2015, que foi derrotado nas autárquicas do ano passado em Maputo.

Este é o primeiro congresso da Renamo sem o seu líder histórico. Afonso Dhlakama faleceu no passado 3 de Maio, vítima de complicações relacionadas com diabetes. Ele viveu os seus últimos anos na Serra da Gorongosa, no centro do país, depois de ter sido alvo de uma tentativa de assassínio em Outubro de 2015, na sua residência na cidade da Beira. Foi líder da Renamo durante perto de 40 anos na sequência da morte em 1979 do fundador desta formação, André Matsangaissa, durante a guerra civil. Mais pormenores com Orfeu Lisboa.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.