Acesso ao principal conteúdo
Moçambique Ciclone

Moçambique : O difícil balanço do Ciclone Idai

Cheias em Moçambique ( imagem de ilustração)
Cheias em Moçambique ( imagem de ilustração) lusa

A passagem do ciclone Idai, no Sul de Moçambique, semeou a destruição e, por agora, não é possível ter uma informação concreta sobre as eventuais vítimas e os danos efectivos que causou, segundo admitiu o próprio Presidente da República.

Publicidade

O ciclone tropical IDAI, de categoria 4, atingiu severamente, esta Quinta-feira, a cidade da Beira, capital de Sofala, com ventos de pelo menos 200 quilómetros por hora, e chuvas intensas, provocando danos ainda por quantificar.

O Presidente moçambicano reconhece a dificuldade em ter informação concreta e conhecer toda a abrangência dos estragos causados pelo ciclone Idai, e o Executivo pediu solidariedade nacional e internacional para fazer frente a esta situação.

Dificuldades de comunicação com as regiões afectadas pelo ciclone IDAI, de categoria 4, pelas províncias do centro de Moçambique  - nomeadamente Sofala, Manica, Tete e Zambézia - estão a impossibilitar o levamento dos danos causados, revelou o Presidente da República, Filipe Nyusi. 

O Presidente da República, que deixou o País nesta Sexta-feira para uma visita de três dias ao Reino de E-Swatine, antiga Swazilândia, garante que o seu Executivo está a seguir atentamente a evolução da situação, e apelou à solidariedade nacional e internacional.

Oiça aqui mais pormenores, com o correspondente da RFI em Moçambique, Orfeu Lisboa :

 

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Faça o download da aplicação

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.