Acesso ao principal conteúdo
Moçambique/Argentina

Moçambique recebe solidariedade do mundo inteiro em Buenos Aires

Acordo de cooperação entre Moçambique, Argentina e Portugal assinado em Buenos Aires a 19 de Março de 2019.
Acordo de cooperação entre Moçambique, Argentina e Portugal assinado em Buenos Aires a 19 de Março de 2019. RFI

Nas horas prévias à II Conferência das Nações Unidas sobre a Cooperação Sul-Sul, em Buenos Aires, o ministro dos Negócios Estrangeiros e Cooperação de Moçambique, José Pacheco, recebeu manifestações de solidariedade de diversos países e disse esperar um rápido restabelecimento da vida depois da tragédia humana no país.

Publicidade

"Há uma manifestação de solidariedade em todas as ocasiões com os colegas que estão aqui a participar neste evento. Manifestaram a disponibilidade em poder fazer algum tipo de solidariedade material, não quantificado ainda, mas há esta solidariedade sobre a qual nós agradecemos", disse o ministro dos Negócios Estrangeiros e Cooperação de Moçambique, José Pacheco, em declarações a Márcio Resende em Buenos Aires.

"Esperamos que rapidamente possamos fazer as intervenções necessárias para o restabelecimento da vida", acrescentou.

Durante o dia prévio à conferência da ONU com 1.500 participantes de 193 países, o ministro manteve reuniões bilaterais com Noruega, Roménia, Tailândia e Argentina, além de uma reunião multilateral, convocada pela Argentina para apresentar as suas agências de cooperação, da qual participaram todos os países africanos. Os países manifestaram solidariedade com a tragédia humana causada pelo rasto do ciclone Idai.

"Alguns países anunciaram apoio financeiro, outros humanitário, outros com meios de transporte aéreo para resgatar pessoas que se encontram isoladas, fundamentalmente na cidade da Beira", indicou o director para Europa e América do Ministério dos Negócios Estrangeiros de Moçambique, Santos Álvaro.

Cooperação triangular entre Moçambique, Portugal e Argentina

Moçambique, Portugal e Argentina assinaram o acordo de cooperação triangular nas áreas de Ciência e que prevê acções conjuntas de Portugal e Argentina nas áreas moçambicanas de Biotecnologia, Bio-segurança, Tratamento e Reutilização da água Produção de Estatísticas.

Com isso, a capacidade de Moçambique desempenhar a sua Ciência e Tecnologia será fortalecida com uma troca de experiências. Portugal e Argentina vão ajudar Moçambique a desenvolver capacidades nessas áreas em que o país apresenta deficiências.

"Um acordo desta natureza vem a reforçar a nossa capacidade de expansão da base de Ciência e Tecnologia para (alcançar) os desafios que Moçambique tem para o seu progresso e para o bem-estar dos moçambicanos", avaliou o ministro José Pacheco.

"Este acordo vai ter impacto directo no desenvolvimento do capital humano em Moçambique que vai poder beneficiar-se com acesso às bases de Ciência e Tecnologia. É uma contribuição, mas o desafio é muito grande", considerou o ministro.

Ouça as declarações de José Pacheco, ministro dos Negócios Estrangeiros e Cooperação de Moçambique.

O acordo entre Portugal, Argentina e Moçambique foi assinado na noite desta terça-feira, nas horas prévias ao começo da II Conferência das Nações Unidas sobre a Cooperação Sul-Sul que começa hoje em Buenos Aires. Durante três dias, os 193 países vão debater e analisar a troca de experiências e de conhecimentos com o objectivo de fortalecer as suas instituições públicas.

Na cidade da Beira 347 mil pessoas estão em risco, 200.000 das quais no distrito de Buzi. O activista ambiental Carlos Serra lamenta os roubos que têm sido cometidos na segunda maior cidade do país e descreve um movimento da sociedade civil que se levantou em todo o país.

Cabo Verde quer acção conjunta da CPLP

O Presidente da República, Jorge Carlos Fonseca, lamentou a situação de calamidade pública em Moçambique, na sequência da passagem do ciclone que deixou para já, centenas de mortos, e milhares de desalojados. O presidente da República disse estar em contacto permanente com o Secretariado executivo da CPLP e os homólogos da comunidade.

Ouça as declarações do Presidente da República de Cabo Verde recolhidas pelo nosos correspondente, Odair Santos.

Eis a carta aberta de Jorge Carlos Fonseca à ONU:

"Senhor Secretário Geral da ONU,

Excelência,

Com muita preocupação e bastante consternado, tenho vindo a seguir os eventos dramáticos derivados da grande devastação que assola, nestes últimos dias, algumas regiões de Moçambique, em particular a cidade da Beira, com centenas de pessoas a perderam a vida, para além dos vários feridos e desaparecidos.

Comovido com a sua situação, permita-me dirigir-me a Vossa Excelência para solicitar o meu apelo urgente à Comunidade internacional no sentido de tudo fazer para ajudar as autoridades moçambicanas neste momento de grande tragédia humanitária que atravessa esse país amigo e irmão.

Encorajo desde logo as Nações Unidas e a todos os organismos competentes das Nações Unidas, em particular aqueles responsáveis pela segurança, paz e assistência, a continuar os seus esforços de assistir Moçambique e as pessoas afectadas por este grande desastre ambiental.

Confiante de que o meu apelo encontrará uma resposta positiva, aproveito esta ocasião para renovar a Vossa Excelência a expressão da minha mais elevada e distinta consideração".

 

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.