Acesso ao principal conteúdo
Moçambique

Futuro de Chang nas mãos da África do Sul

Manuel Chang, ex ministro moçambicano das finanças, no tribunal sul-africano de Kempton Park a 31 de Janeiro de 2019.
Manuel Chang, ex ministro moçambicano das finanças, no tribunal sul-africano de Kempton Park a 31 de Janeiro de 2019. Reuters

A justiça sul-africana remeteu esta segunda-feira para o ministro da Justiça a decisão sobre os pedidos de extradição para os Estados Unidos e para Moçambique do antigo ministro das Finanças moçambicano, Manuel Chang.

Publicidade

O antigo ministro das Finanças, Manuel Chang, é extraditável para Moçambique e para os Estados Unidos da América, anunciou hoje a justiça sul-africana.

Na leitura dos vereditos, o Juiz William Schutte disse que ambos os pedidos obedecem os critérios do pedido de extradição.

O Juiz adiantou que "Manuel Chang permanecerá na prisão de Modderbee pendente da decisão para a sua extradição nos termos do artigo 11.º do Protocolo de Extradição da Comunidade de Desenvolvimento da África Austral (SADC)".

A defesa tem agora quinze dias para recorrer das decisões do juíz. Caso decida não recorrer, depois desse tempo, o processo segue para as mãos do ministro da Justiça sul-africano que não tem prazos para tomar um decisão.

O antigo ministro das Finanças de Moçambique foi detido pela Interpol no aeroporto internacional Oliver Tambo, arredores de Joanesburgo, no dia 29 de dezembro de 2018, quando tentava embarcar para o Dubai, na sequência de um pedido de extradição das autoridades norte-americanas.

 

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.