Acesso ao principal conteúdo
Moçambique

Moçambicanas obrigadas a trocar sexo por ajuda

Menino que recebeu ajuda num centro de acolhimento em Dondo, a 35 quilómetros da Beira
Menino que recebeu ajuda num centro de acolhimento em Dondo, a 35 quilómetros da Beira Yasuyoshi CHIBA / AFP

Mulheres moçambicanas são obrigadas a prostituirem-se para obter ajuda humanitária, na sequência do ciclone Idai. 

Publicidade

A denúncia é feita pela Human Rights Watch (HRW), que pede às autoridades que investiguem esta exploração "cruel".

Segundo a organização, os abusos são levados a cabo por líderes comunitários, alguns ligados à Frelimo.

A HRW diz que os líderes em questão exigem às mulheres o pagamento da ajuda alimentar, e quando essas mulheres não possuem recursos são obrigadas a prostituirem-se.

De acordo com a organização, nalgumas aldeias, mulheres e crianças não veem comida há várias semanas.

Teresinha da Silva, do SOS Idai, uma organização da sociedade civil a operar em Sofala e Manica, diz que a exploração sexual de mulheres em torno da ajuda humanitária é algo que está ainda a ser investigado; 

No entanto, acrescenta que se fala também de casos relacionados com crianças centrando-se as principais preocupações, sobretudo, na zona do Corredor da Beira.

Oiça aqui as declarações de Teresinha da Silva

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.