Acesso ao principal conteúdo
Moçambique

Renamo diz que recenseamento está a ser “um fiasco”

Eleições autárquicas de 10 de Outubro de 2018.
Eleições autárquicas de 10 de Outubro de 2018. Roberto MATCHISSA / AFP

A Renamo apontou que o processo de recenseamento eleitoral em curso em Moçambique está a ser “um fiasco” e teme “um descalabro” em termos de participação eleitoral. As eleições gerais são a 15 de Outubro.

Publicidade

A cerca de duas semanas do fim do recenseamento para as eleições gerais de 15 de Outubro, em Moçambique, a Renamo criticou o processo em curso desde 15 de Abril e que se prolonga até 30 de Maio.

É um grande fiasco a forma como o recenseamento está a decorrer. Nós, neste momento, estamos a passar a informação e estamos a passar o posicionamento do partido relativamente ao recenseamento. Mas também não só denunciar as irregularidades, mas também passarmos a ser elementos activos para que os cidadãos possam afluir aos postos de recenseamento para que tenhamos uma eleição com uma participação maior do que aquela se está a antever agora e que seria um descalabro”, afirmou Venâncio Mondlane, conselheiro do presidente da Renamo, Ossufo Momade.

Entretanto, o Instituto Eleitoral da África Austral, uma organização da sociedade civil, acusou o Secretariado Técnico de Administração Eleitoral de reduzir o número de eleitores nas zonas de maior influência dos partidos da oposição.

Oiça aqui a reportagem de Orfeu Lisboa.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Faça o download da aplicação

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.