Acesso ao principal conteúdo
Moçambique

Número de recenseados em Gaza gera polémica

Moçambicanos vão às urnas
Moçambicanos vão às urnas Cristiana Soares

O número de eleitores recenseados na província de Gaza, em Moçambique, continua a gerar polémica. Segundo o Instituto Nacional de Estatísticas só em 2040 é que a província irá atingir os eleitores anunciados pelo Secretariado Técnico de Administração Eleitoral-STAE.

Publicidade

O director Nacional de Censo e Estatística do INE, Arão Balate, afirma que os órgãos eleitorais moçambicanos, STAE e CNE, recensearam cerca de 230 mil eleitores a mais do que o número da população em idade eleitoral na província de Gaza, sul do país.

Arão Balate acrescenta ainda que só em 2040 é que a província de Gaza irá atingir os eleitores anunciados pelo Secretariado Técnico de Administração Eleitoral-STAE.

O responsável do INE remete qualquer explicação sobre a disparidade no número de recenseados para os órgãos eleitorais, todavia reitera que “em termos científicos ultrapassam todas as teorias demográficas”.

A apresentação tabelas surge na sequência de acusações dos partidos de oposição e de organizações da sociedade civil de que o recenseamento eleitoral na província de Gaza foi manipulado pelo STAE com a conivência da CNE, para aumentar o número de mandatos na província de Gaza.

Ontem, a Renamo anunciou que iria, nos próximos dia, pedir formalmente à Procuradoria-Geral da República a realização de uma auditoria externa e independente ao processo.

Recorde-se que na semana passada, a principal força de oposição, apresentou junto da Procuradoria-Geral da República uma queixa-crime contra membros do STAE e da CNE, a quem acusa de serem responsáveis pelas alegadas ilegalidades que ocorreram no recenseamento eleitoral na província de Gaza.

Moçambique realiza eleições gerais a 15 de Outubro deste ano.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Faça o download da aplicação

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.