Acesso ao principal conteúdo
Moçambique

Dívida oculta: MP deduz acusação contra 20 arguidos

Praça da Independência em Maputo, Moçambique
Praça da Independência em Maputo, Moçambique ALEXANDER JOE / AFP

O Ministério Público moçambicano deduziu a acusação definitiva contra os 20 arguidos acusados de estarem envolvidos no cado de corrupção da dívida oculta.

Publicidade

A Procuradoria-Geral da República tornou pública a acusação definitiva contra os 20 arguidos acusados de estarem envolvidos no caso de corrupção das dívidas ocultas.

No comunicado, a PGR assinala que a acusação definitiva segue-se à acusação provisória deduzida a 22 de Março deste ano contra 20 arguidos, dos quais dez se encontram presos preventivamente, nove estão em liberdade e um em liberdade provisória mediante pagamento de caução.

De acordo com o documento, os dez arguidos são acusados de associação para delinquir, chantagem, corrupção passiva, peculato, abuso de cargo ou função, violação de regras de gestão e uso de documentos falsos

O Ministério Público solicitou que sejam declarados a favor do Estado os bens que cada uma terá adquirido em resultado da fraude, avaliada em cerca de 1,7 mil milhões de euros.

Entre os arguidos detidos incluem-se Ndambi Guebuza, filho do antigo chefe de Estado moçambicano Armando Guebuza, Inês Moiane, secretária particular de Guebuza, e antigos dirigentes dos Serviços de Informação e Segurança do Estado (SISE).

O julgamento deste caso ainda não tem data marcada, porém está agendada para terça-feira, pelo Tribunal Superior de Gautem, Joanesburgo, a audiência sobre o pedido de extradição do antigo ministro das Finanças de Moçambique.

Manuel Chang está detido na África do Sul por causa deste processo, a pedido da justiça norte-americana.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.