Acesso ao principal conteúdo
Moçambique/Rússia

Rússia perdoa 95% da dívida de Moçambique

Filipe Nyusi, Presidente de Moçambique.
Filipe Nyusi, Presidente de Moçambique. THIERRY CHARLIER / AFP

 O Presidente Filipe Nyusi avistou-se esta quinta-feira (22/08) com o seu homólogo Vladimir Putin e amanhã termina a sua visita oficial à Rússia, destinada a relançar a cooperação entre os dois países ao nível dos tempos da União Soviética.

Publicidade

Filipe Nyusi é o primeiro Presidente de Moçambique a visitar a Rússia desde a dissolução da URSS em 1991, tendo a última visita estatal a Moscovo sido efectuada por Joaquim Chissano em 1987.

A Rússia perdoou 95% da dívida moçambicana anunciou Filipe Nyusi no encontro que teve na quinta-feira (21/08) no fórum de negócios Moçambique-Rússia que reuniu 46 empresários moçambicanos e cerca de 450 russos, convidados a incrementarem os negócios entre os dois países.

As trocas comerciais bilaterais não ultrapassam neste momento os 115 milhões de dólares, o que o Presidente Vladimir Putin chamou de “situação modesta” ao receber esta quinta-feira (22/08) Filipe Nyusi no Kremlin, mas os cinco acordos e memorandos assinados pelas respectivas comitivas, indicam que as partes tem intensões sérias.

O acordo fulcral assinado durante esta visita, foi entre a Empresa Nacional de Hidrocarbonetos de Moçambique e a maior petrolífera russa, Rosneft, que admite a empresa russa na exploração de jazidas de gás natural em Moçambique, designadamente na Bacia do Rovuma, na província nortenha de Cabo Delgado, através do consórcio ExxonMobil, segundo o jornal Notícias de Moçambique.

Foram também rubricados memorandos de entendimento sobre a cooperação nas áreas de energia eléctrica, geologia e exploração de recursos naturais.

Moscovo e Maputo irão também cooperar em assuntos do interior e na proteção recíproca de informações secretas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.