Acesso ao principal conteúdo
Moçambique

Moçambique recebe 397 de seus cidadãos na África do sul sob xenofobia

Onda de violência xenófoba na África do sul força Moçambique a receber de volta moçambicanos imigrantes naquele país
Onda de violência xenófoba na África do sul força Moçambique a receber de volta moçambicanos imigrantes naquele país Michele Spatari / AFP

A África do Sul continua há mais de uma semana enfrentar uma onda de violência xenófobas que se concentram essencialmente em Pretória e Joanesburgo com um balanço de pelo menos 12 mortos, danos consideráveis e mais e 600 detenções. Por seu turno, apesar de nenhum moçambicano se encontrar entre as vítimas mortais, Moçambique optou também por acolher de volta 397 dos seus cidadãos.

Publicidade

Regressa a Moçambique o primeiro grupo dos 400 moçambicanos que decidiram abandonar a África do Sul e fugir dos ataques xenófobos que já duram há mais de uma semana no país vizinho.

Augusta Maíta, Directora geral do Instituto Nacional de Gestão de Calamidades INGC, garante que o país já está preparado para receber esta nova vaga de imigrantes.

"Aquelas pessoas que por alguma razão não tiverem para onde ir, já identificámos um espaço em Muamba, onde vamos montar o nosso centro de acomodação."

De acordo com o Ministério dos Negócios Estrangeiros e Cooperação, os actos de violência xenófoba naquele país, já provocaram pelo menos 12 vítimas mortais.

De acordo com dados oficiais, mais de dois milhões de moçambicanos residem na África do Sul, parte dos quais trabalha em minas, agricultura e comércio, incluindo no sector informal com residências nas cidades de Johannesburg, Durban e Nelspruit.

De Maputo, o nosso correspondente, Orfeu Lisboa. 

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.