Acesso ao principal conteúdo
Moçambique

13,1 milhões de moçambicanos chamados às urnas

Dia de eleições gerais em Moçambique
Dia de eleições gerais em Moçambique Cristiana Soares

Dia de Eleições Gerais em Moçambique. Mais de 13 milhões de eleitores são chamados às urnas.

Publicidade

Esta terça-feira os moçambicanos definem a nova configuração política do país. Escolhem o novo Presidente da República, dez assembleias provinciais e respectivos governadores, bem como 250 deputados da Assembleia da República. São as primeiras eleições multipartidárias sem a presença de Afonso Dhlakama, antigo Presidente da Renamo, falecido a 03 de Maio de 2018.

Quatro candidatos disputam a cadeira da presidência, Filipe Nyusi, da Frelimo, candidata-se à sua sucessão, Ossufo Momade, presidente da Renamo, principal partido da oposição, Daviz Simango, presidente do MDM, terceiro partido de representação parlamentar e Mário Albino, candidato pela Acção de Movimento Unido para Salvação Integral.

Para Assembleia da República, concorrem em todo o país 25 partidos políticos e duas coligações.

A campanha eleitoral ficou marcada pela violência, 40 pessoas mortas, destas sete foram assassinadas, mais de 200 feridos e dezenas de casas incendiadas.

Em Cabo Delgado, dez mesas de voto não abriram esta terça-feira. Mais de 5.400 eleitores foram impedidos de votar por falta de segurança.

Em 2014, a taxa de participação foi de 50,62 por cento.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.