Acesso ao principal conteúdo
Moçambique

Francofonia satisfeita com eleições em Moçambique

Urna com os votos da eleição presidencial.
Urna com os votos da eleição presidencial. Cristiana Soares

A acompanhar as VI Eleições Gerais em Moçambique esteve uma missão da Organização Internacional da Francofonia, liderada pelo antigo ministro dos Negócios Estrangeiros de São Tomé e Príncipe, Urbino Botelho.

Publicidade

Em declarações à RFI, o ex-chefe da diplomacia são-tomense mostrou-se satisfeito com o decurso do sufrágio: “ficamos satisfeitos com o que vimos, não constatamos nenhum incidente. Isto demonstra o civismo do povo moçambicano.”

De uma forma geral “as eleições decorreram de forma ordeira, em paz e tranquilidade, não obstante alguns incidentes que não põem em causa a organização das eleições”, acrescentou Urbino Botelho.

Trata-se de uma missão de informação e contactos, a primeira do género enviada para um país observador da OIF. A organização francófona apensa costuma enviar missões de observações para países-membros.

A missão tem a duração de uma semana, começou a 11 de Outubro e termina sexta-feira, dia 18 de Outubro. O objectivo essencial da deslocação era encontrar os principais actores e instituições envolvidos no processo eleitoral, além de reuniões com outras missões de observação internacionais, nomeadamente as Missões de Observação Eleitoral da União Africana, Comunidade de Desenvolvimento da África Austral (SADC) e União Europeia.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.