Acesso ao principal conteúdo
Moçambique

Moçambique: 18 membros do Nova Democracia detidos há dias

Voto na Escola Primária da Munhava, na Cidade da Beira. 15 de Outubro de 2019.
Voto na Escola Primária da Munhava, na Cidade da Beira. 15 de Outubro de 2019. PATRICK MEINHARDT / AFP

O Partido da Nova Democracia denuncia a prisão de 18 membros, a 15 de Outubro, e contesta a acusação de credenciais falsas. A mandatária do partido, Quitéria Guirengane, garante que as credenciais foram atribuídas pelos órgãos de gestão eleitoral.

Publicidade

A mandatária da Nova Democracia, Quitéria Guirengane, nega o uso de credenciais falsas por parte de 18 delegados de candidatura e mandatários do partido que foram detidos em Gaza. Quitéria Guirengane exige a sua libertação e atribui a responsabilidade aos órgãos eleitorais.

Os 18 membros do partido estão detidos na cadeia de Guijá desde o dia das eleições gerais, 15 de Outubro. De acordo com Quitéria Guirengane, até aqui não houve qualquer contacto com eles nem mesmo com o processo de que são acusados. A responsável avisou que vai avançar com um aacção judicial e denunciou "terrorismo eleitoral e perseguição".

O chefe de missão de observação eleitoral da União Europeia, Sanchez Amor, apelou à calma.

Os resultados provisórios avançados pelo Secretariado Técnico de Administração Eleitoral dão a vitória à Frelimo e ao seu candidato presidencial Filipe Nyusi.

Oiça aqui a reportagem de Orfeu Lisboa.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.