Acesso ao principal conteúdo
Iraque/Intervenção Ocidental

Reino Unido retira seus soldados do Iraque após oito anos no país

Soldados britânicos no Iraque, em 2009. No auge da operação, a missão da Royal Navy chegou a ter 46 mil homens no país.
Soldados britânicos no Iraque, em 2009. No auge da operação, a missão da Royal Navy chegou a ter 46 mil homens no país. AFP PHOTO / AHMAD AL-RUBAYE

Oito anos após ter se aliado aos Estados Unidos na intervenção militar no Iraque, os últimos soldados britânicos deixaram o país neste domingo. Com 46 mil homens, o Reino Unido possuía o segundo maior contingente militar estrangeiro em solo iraquiano. A retirada das tropas acontece no mesmo dia em que um atentado à bomba matou pelo menos seis pessoas e deixou cerca de 60 feridos no país.

Publicidade

A marinha britânica terminou neste domingo a sua missão de formação no Iraque, colocando fim a uma presença militar que começou em 2003, durante a invasão que resultou na queda do ex-presidente Saddam Hussein. As operações militares do Reino Unido no Iraque terminaram oficialmente em julho de 2009, mas a pedido do governo iraquiano, a marinha britânica havia permanecido no país para treinar os iraquianos na defesa de seu território.

No auge da operação, a missão da Royal Navy chegou a ter 46 mil homens no país, mas nos últimos meses as forças do Reino Unido vinham sendo representadas apenas por um pequeno grupo de marinheiros, encarregados da formação da marinha iraquiana, responsável pela proteção das instalações de petróleo, essenciais para a reconstrução do país. Um porta-voz do ministério da Defesa do Reino Unido indicou que a partir de agora os únicos militares britânicos presentes no Iraque são os que trabalham nos serviços diplomáticos.

“A contribuição britânica foi muito útil”, disse o chefe da diplomacia iraquiana, Hoshyar Zebari. Segundo ele, os militares ajudaram muito na formação das forças do país para a proteção dos portos de petróleo. Já para Jawad al-Hasnaoui, deputado próximo ao chefe xiita Moqtada Sadr, o fim da presença militar estrangeira é uma coisa positiva. “Nós desejamos a retirada de todas as forças de ocupação do Iraque”, disse ele. Atualmente 45 mil soldados norte-americanos continuam no território iraquiano.

Violência continua

Mas a retirada das tropas britânicas não significa que a violência diminuiu no Iraque. Na manhã deste domingo três atentados com carros-bomba foram registrados apenas na capital Bagdá. Pelo menos seis pessoas morreram e cerca de 60 ficaram feridas, segundo os primeiros balanços.
 

selfpromo.newsletter.titleselfpromo.newsletter.text

selfpromo.app.text

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.