Acesso ao principal conteúdo
EUA/Mianmar

Aung San Suu Kyi é recebida como heroína nos EUA

Hillary Clinton recebe Aung San Suu Kyi no Departamento de Estado, em Washington.
Hillary Clinton recebe Aung San Suu Kyi no Departamento de Estado, em Washington. REUTERS/Gary Cameron

A líder pró-democracia Aung San Suu Kyi, de Miamar, antiga Birmânia, faz uma viagem histórica aos Estados Unidos. Ela recebe nesta quarta-feira, a Medalha de Ouro do Congresso, a mais alta distinção norte-americana. Prêmio Nobel da Paz, ela passou 15 anos em prisão domiciliar decretada pelo antigo regime militar birmanês.

Publicidade

Aung San Suu Kyi, eleita deputada em eleições recentes, afirmou nesta terça-feira, em Washington, que pretende manter relações estreitas com os EUA. Ela acrescentou que não quer que essa aproximação seja vista com hostilidade pela China, principal aliada do violento regime militar que comandou a ex-Birmânia por meio século, até o ano passado.

Hillary Clinton, secretária de Estado norte-americana, fez um apelo para que Miamar continue implantando reformas democráticas. Hillary fez um alerta contra a ameaça de “eventuais retornos ao passado”, citando preocupação com tensões civis e supostos vínculos com o regime comunista da Coreia do Norte. Aung San Suu Kyi declarou esperar que as sanções norte-americanas contra Mianmar sejam suspensas em breve.

A líder birmanesa, de 67 anos, visita nos próximos dias várias cidades americanas, onde vai falar em universidades, receber homenagens e encontrar-se com refugiados de seu país.
 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Faça o download da aplicação

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.