Acesso ao principal conteúdo
Israel/Faixa de Gaza

Abbas espera anúncio de trégua em Gaza antes que Hillary deixe a região

A secretária de Estado americana, Hillary Clinton, se reuniu nesta quarta-feira com o presidente palestino, Mahmoud Abbas, em Ramalá, na Cisjordânia.
A secretária de Estado americana, Hillary Clinton, se reuniu nesta quarta-feira com o presidente palestino, Mahmoud Abbas, em Ramalá, na Cisjordânia. REUTERS/Alaa Badarneh/Pool

Depois de declarar em Israel que o compromisso dos Estados Unidos com Israel é sólido como uma rocha, a secretária de Estado americana, Hillary Clinton, conversa na manhã desta quarta-feira com o presidente da Autoridade Palestina, Mahmoud Abbas, em Ramalá na Cisjordânia.

Publicidade

Sem acordo ainda sobre um cessar-fogo, segue a espiral de violência entre palestinos e israelenses. A aviação de Israel intensificou seus bombardeios na madrugada desta quarta-feira sobre a Faixa de Gaza. O prédio onde se encontra o escritório da agência de notícias AFP foi atingido, segundo um fotógrafo da agência. Ontem, no sétimo dia de confrontos, 26 palestinos morreram em Gaza, segundo o Ministério da Saúde. Do lado israelense, um soldado morreu, o primeiro militar desde o início da operação Pilar Defensivo há uma semana.

Nesta terça-feira à noite, na ONU, o representante palestino Riyad Mansour declarou que 140 palestinos morreram e 950 ficaram feridos nos ataques israelenses. Os Estados Unidos se opuseram a uma declaração do Conselho de Segurança sobre o conflito, alegando que isso não traria nada de novo aos esforços diplomáticos que estão sendo executados. As negociações avançam lentamente, mas com a expectativa para um anúncio de um cessar-fogo a qualquer momento.

Hillary: compromisso dos EUA com israel é sólido como uma rocha

Após encontro com o primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, ontem à noite em Jerusalém, a secretária de Estado americana, Hillary Clinton, declarou que o compromisso dos Estados Unidos com a segurança de Israel é firme como uma rocha. E para ela, é essencial diminuir a escalada de violência em Gaza. Também em visita a Israel, o secretário-geral da ONU, Ban Ki-Moon, afirmou que o aumento da espiral de violência seria um desastre para toda a região. Ele também estará em Ramalá nesta quarta-feira.

No Egito, país que atua como mediador do conflito, uma fonte próxima do presidente Mohmed Mursi declarou que ele espera uma trégua em breve para o conflito. Representantes egípicos dizem esperar uma resposta israelense para a proposta de um cessar-fogo.

O Hamas minimizou os rumores de uma trégua e pediu que os grupos armados continuem a responder aos ataques israelenses. A situação humanitária no território, que já era grave devido ao bloqueio israelense à Faixa de gaza, se agravou com a nova ofensiva militar.
 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Faça o download da aplicação

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.