Acesso ao principal conteúdo
China/Transporte

China inaugura maior ferrovia de alta velocidade do mundo

Funcionárias do trem-bala Pequim/Cantão posam para foto promocional.
Funcionárias do trem-bala Pequim/Cantão posam para foto promocional. REUTERS/China Daily

A China escolheu este 26 de dezembro, data de nascimento de Mao Tsé-Tung, para inaugurar a maior ferrovia de alta velocidade do mundo. O trem-bala entre Pequim e Cantão percorreu a distância de 2.298 quilômetros em apenas 8 horas, tempo três vezes menor do que o habitual. A estreia marca os investimentos do regime chinês para desenvolver a infraestrutura de transportes do país.

Publicidade

A primeira viagem do trem-bala Pequim/Cantão aconteceu sem incidentes. O trem partiu às 9 horas da manhã da capital, no norte, e chegou a Cantão, no sul, às 5 da tarde. A partida e a chegada foram exibidas ao vivo pela televisão de Estado chinesa, entusiasmada com a nova ferrovia.

O trem-bala de tecnologia chinesa é capaz de atingir até 350 km/h, mas a velocidade média da viagem foi de 300 km/h. A linha de quase 2.300 quilômetros conecta cinco províncias à capital e promover o desenvolvimento econômico regional. Essa extensão equivale à distância entre Brasília e Fortaleza.

Os chineses vão ter que desembolsar 865 yuans, cerca de 290 reais, para fazer o trecho completo na segunda classe. O preço alto, equivalente ao de uma passagem de avião, é apontado como problema para a competitividade da ferrovia.

Escândalos de corrupção

A inauguração marca uma etapa importante nos investimentos chineses no setor de transporte. A China, que em 2007 não possuía nenhuma ferrovia de alta velocidade, tem agora a maior rede do mundo com mais de 8 mil quilômetros. Até 2020, as autoridades chinesas prometem duplicar essa extensão.

Mas a expansão da rede ferroviária chinesa é acompanhada por escândalos de corrupção que culminaram com a demissão do ministro da Rede Ferroviária, no ano passado. Em julho de 2011, um acidente entre dois trens-bala, que deixou 40 mortos, expôs as falhas nas normas de segurança. O governo chinês foi acusado de ter acelerado as obras e negligenciado a segurança.

Para este novo trecho, as autoridades ferroviárias tomaram uma série de medidas para garantir uma viagem segura, como intensificar a manutenção de equipamentos fixos e aparelhos móveis a bordo e melhorar o sistema de controle para resolver possíveis problemas sob condições climáticas extremas.
 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Faça o download da aplicação

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.