Acesso ao principal conteúdo

Irmandade Muçulmana convoca manifestações e propõe mediação europeia

O presidente interino do Egito Adly Mansour fez um pronunciamento acusando seus opositores de tentar semear o caos no país.
O presidente interino do Egito Adly Mansour fez um pronunciamento acusando seus opositores de tentar semear o caos no país. REUTERS/Amr Abdallah Dalsh

A Irmandade Muçulmana prepara novas manifestações nessa sexta-feira, 19 de julho, no Egito, para pedir a volta de Mohamed Mursi ao poder. No entanto, apesar dos protestos, o grupo se disse disposto a solicitar a mediação da União Europeia nas negociações para tentar colocar novamente o ex-chefe de Estado no cargo. O presidente interino Adly Mansour disse nessa quinta-feira que a oposição tenta semear o caos e que vai lutar para restabelecer a segurança no país.

Publicidade

Os responsáveis da Irmandade Muçulmana indicaram nessa quinta-feira que a União Europeia poderia ser uma mediadora nas negociações ligadas à volta de Mohamed Mursi ao poder. Gehad El-Haddad, um dos líderes do grupo do qual faz parte o ex-presidente egípcio, se encontrou com o emissário europeu no Egito Bernardino Leon, com quem teria falado sobre essa possível mediação.

Bruxelas desmentiu qualquer tipo de engajamento. Em uma entrevista coletiva o embaixador da União Européia no Cairo, James Moran, afirmou que “ninguém fala atualmente de qualquer tipo de mediação da União Europeia”. Para ele, antes de mais nada é preciso que ambas as partes envolvidas na crise dentro do país decidam que essa moderação externa é desejada. “E se o Egito chegar a essa conclusão uma forma de facilitação seria possível, mas por enquanto tudo isso são hipóteses”.

A Irmandade Muçulmana, que recusa qualquer tipo de discussão com o presidente interino Adly Mansour, convocou novas manifestações nessa sexta-feira. Numa tentativa de conter os protestos, o novo chefe de Estado fez um pronunciamento na televisão no qual criticou seus opositores que, segundo ele, tentam semear “o caos” no país. “Nós estamos em um movimento decisivo da história do Egito e alguns tentam nos levar para o desconhecido”, disse o Mansour. Mas o novo líder se mostrou combativo: “Levaremos a batalha pela segurança até o fim”, insistiu.
 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Faça o download da aplicação

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.