Acesso ao principal conteúdo
Irã/nuclear

Ali Akbar Salehi é nomeado chefe da organização iraniana de energia atômica

Em primeiro plano, Ali Akbar Salehi, ministro iraniano das Relações Exteriores
Em primeiro plano, Ali Akbar Salehi, ministro iraniano das Relações Exteriores REUTERS/Muhammad Hamed

O ex-chanceler iraniano Ali Akbar Salehi foi nomeado nesta sexta-feira chefe da OEA (Organização iraniana de energia atômica), que representa o Irã anualmente na assembleia da AIEA (Agência Internacional de Energia Atômica). Ele já havia dirigido a organização entre 2009 e 2010 antes de se tornar ministro.

Publicidade

A nomeação de Salehi para o cargo reafirma as intenções do novo presidente Hassan Rohani, que assumiu o cargo no dia 4 de agosto, de relançar o diálogo com a comunidade internacional. O objetivo é aliviar as sanções contra o país, mergulhado em uma grave crise econômica.

Doutor em Física nuclear pelo MIT (Massachussets Institute of Technology) Salehi foi negociador do Irã na AIEA (Agência Internacional de Energia Atômica) entre 1997 e 2005, na época em que Mohammad Khatami ocupava a presidência.

O chefe da OEA é responsável pelo controle e o funcionamento das centrais que contribuem para a produção de eletricidade nuclear, sem estar diretamente ligado às negociações sobre o programa nuclear. Mas ele representará o país durante a assembleia anual dos membros da Agência Internacional de Energia Atômica, que acontece em setembro na Áustria.

Israel e as potências ocidentais acusam Teerã de enriquecer urânio para fabricar a bomba atômica, o que as autoridades do país negam, apesar de darem continuidade ao programa de enriquecimento de material radioativo a alto teor. Depois de diversas tentativas de negociação, o país, irredutível, acabou sendo alvo de várias sanções bilaterais, e outras adotadas no Conselho de Segurança da ONU.

Na semana passada, o novo presidente declarou que estava pronto para ter sérias negociações com o Irã e as grandes potências, sem abdicar do direito de enriquecer urânio.

Paralelamente, o Parlamento iraniano deu hoje voto de confiança a 15 dos 18 ministros, apresentados pelo presidente Hassan Rohani, depois de quatro dias de debate O anúncio foi feito pelo presidente da assembleia Ari Larijani na TV.

Apenas os candidatos mais liberais para os Ministérios da Educação (Mohammad Ali Najafi), da Ciência, da Pesquisa e da Tecnologia (Jafar Mili-Monfared) e do Esporte (Massoud Soltanifar) não foram aceitos pelo Parlamento, que é formado predominantemente por conservadores.

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.