Acesso ao principal conteúdo
Japão/Tufão

Tufão “Wipha” deixa ao menos 17 mortos no Japão

O tufão Wipha levou ventos fortes e chuva torrencial a Tóquio na manhã de quarta-feira, 16.
O tufão Wipha levou ventos fortes e chuva torrencial a Tóquio na manhã de quarta-feira, 16. REUTERS/Kyodo

A capital japonesa amanheceu nesta quarta-feira, 16 de outubro de 2013, em meio a uma violenta tempestade causada pelo tufão “Wipha”, o mais forte a atravessar o Japão em dez anos. A passagem do tufão pela região deixou 17 mortos e dezenas de desaparecidos, principalmente na ilha de Izu Oshima. À tarde, "Wipha" atingiu a região de Fukushima provocando riscos de novos vazamentos na central nuclear.

Publicidade

Com a colaboração de Claudia Sarmento, correspondente da RFI em Tóquio

Vinte mil pessoas tiveram que abandonar suas casas. Os maiores estragos ocorreram na ilha de Izu Oshima, a 120 quilômetros da capital, onde desabamentos de encostas e enchentes provocaram o maior número de vítimas.

Apesar dos transtornos para a área metropolitana, com mais de 35 milhões de habitantes, não foram registrados grandes danos no centro de Tóquio. A maioria das escolas fechou, assim como fábricas e escritórios, permitindo que a população ficasse em casa.

Os ventos, com rajadas de até 180 quilômetros por hora, levaram à paralisação das linhas de trem na parte da manhã e ao cancelamento de 500 voos.O governo montou uma equipe de emergência no Gabinete do primeiro-ministro Shinzo Abe para monitorar a situação.

Fukushima

À tarde, os moradores retomaram sua rotina, enquanto o “Wipha” se dirigia para o Norte do arquipélago japonês, passando por Fukushima. Na central nuclear, os funcionários retiraram água da chuva dos tanques que armazenam água radioativa para impedir novos vazamentos. Se não estiver contaminada, a água será despejada no mar.
 

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.