Acesso ao principal conteúdo
Japão/nuclear

Governo aprova plano financeiro para administradora de Fukushima

Foto do dia 7 de novembro mostra empregados da TEPCO realizando um trabalho de segurança de rotina em Fukushima.
Foto do dia 7 de novembro mostra empregados da TEPCO realizando um trabalho de segurança de rotina em Fukushima. REUTERS/Kimimasa Mayama/Pool

O governo japonês aprovou nesta quarta-feira (15) um novo plano de reestruturação da Tepco, administradora da central de Fukushima. O objetivo é permitir à empresa atingir seus objetivos de pagar indenizações e os estragos provocados pelo acidente com a usina nuclear.

Publicidade

“Vamos fazer mais esforços ainda além do que estamos  fazendo”, afirmou o presidente da Tepco (Tokyo Eletric Power), Naomi Hirose, durante uma entrevista coletiva em Tóquio. O plano havio sido apresentado pela empresa e por uma entidade de ajuda financeira, em dezembro, ao ministro da Indústria, Toshimitsu Motegi.

O plano financeiro se baseia na possibilidade de uma retomada parcial das atividades dos reatores nucleares de uma outra central da Tepco, a Kashiwazaki-Kariwa, localizada na costa oeste do Japão, e que se encontra atualmente suspensa.

A retomada do trabalho de duas unidades, em julho próximo, e de outras duas durante a primavera do ano que vem ( do total de 7 do complexo nuclear) permitiria à companhia fazer economias consideradas importantes e também representar garantias para os credores.

Apesar do governo se mostrar favorável ao plano, ainda será preciso obter um certificado de segurança por parte da autoridade nuclear independente, além do sinal verde das autoridades locais.

A Tepco também demonstrou disposição em cortar gastos com combustíveis para suas centrais térmicas através de uma aliança com outras companhias a fim de negociar melhores tarifas. A economia anual prevista é equivalente a 4,6 bilhões de euros.

Tepco também lança programa de demissões voluntárias

Outra medida de impacto é o programa de demissões voluntárias que pode atingir 2 mil funcionários do grupo, para reduzir as despesas fixas.

No total, a Tepco estima que poderá economizar no prazo de 10 anos o equivalente a 34 bilhões de euros, bem mais do que os 24 bilhões previstos no plano anterior.

Com esse novo plano de reestruturação, a Tepco poderá receber novos empréstimos de 3,5 bilhões de euros de um conjunto de 11 bancos e instituições financeiras, segundo a imprensa local.

Em dezembro a companhia já havia encaminhado um pedido de ajuda extra de quase 7 bilhões de euros para o estado. O dinheiro será usado para indenizar as vítimas de Fukushima.

.
 

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.