Acesso ao principal conteúdo
Síria/Conflito

Oposição síria decide participar de Conferência de Paz

Ahmad Djarba, presidente da Coalizão da Oposição síria.
Ahmad Djarba, presidente da Coalizão da Oposição síria.

A oposição síria no exílio, reunida neste sábado (18) em Istambuln decidiu participar da Conferência de Paz para a Síria, chamada de Genebra 2. O encontro acontece na quarta-feira da semana que vem, em Montreux, na Suíça, mas os opositores a Bashar al-Assad permaneciam divididos sobre a possibilidade de negociar com representantes do regime. Em uma votação, eles decidiram fazer parte das negociações.

Publicidade

A reunião da oposição síria em Istambul, na Turquia, acontece a portas fechadas. Por causa de divisões internas que complicam ainda mais as discussões, ela começou com 24 horas de atraso. A quatro dias da Conferência de Paz para a Síria, organizada pelos Estados Unidos e Rússia, os opositores hesitavam em negociar a paz com representantes do regime que eles combatem há quase três anos.

Por votação, após discussões acaloradas, a coalizão acabou aprovando a participação no diálogo, por 58 votos a favor, 14 contra e 2 abstenções. Ainda na manhã deste sábado, as divisões internas se mostravam uma barreira complexa a superar.

“Chegar a um compromisso vai ser difícil”, previu ontem Munzer Aqbiq, conselheiro do presidente da Coalizão da Oposição. Antes do início da reunião de hoje, o porta-voz do grupo, Khaled Saleh, lembrou as condições impostas para que a oposição participe da Conferência de Paz.

Exigências da oposição

“A solução política para o conflito sírio passa pela criação de um governo de transição, sem a participação do presidente Bashar al-Assad”, ressaltou Khaled Saleh. O governo transitório seria encarregado de organizar novas eleições livres no país.

O regime sírio já rejeitou várias vezes essas exigências. Damasco repete que não irá à Suíça “entregar o poder” e que cabe ao presidente Bashar al-Assad encabeçar a transição na Síria.

Concessões de Damasco

Influenciado pelo fiel aliado russo, o regime sírio aceitou na sexta-feira algumas exigências da oposição. O chefe da diplomacia síria anunciou ontem um plano para a “troca de prisioneiros” e para “a suspensão de todas as operações militares” na região de Alepo.

As condições para esse cessar-fogo ainda não foram definidas. As hesitações da oposição levaram o grupo de países “amigos da Síria” a multiplicar os esforços para tentar convencer os opositores a participar da Conferência de Paz e garantir o sucesso do encontro.

Genebra 2

A Conferência de Paz para a Síria, chamada de Genebra 2, acontece no dia 22 de janeiro em Montreux. Ela busca uma solução política capaz de pôr fim a conflito sírio que deixou mais de 130 mil mortos e obrigou milhões de pessoas a se refugiarem em países vizinhos, desde março de 2011.

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Faça o download da aplicação

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.