Acesso ao principal conteúdo
Síria/ONU

Regime sírio autoriza que mulheres e crianças deixem a cidade de Homs

O mediador internacional Lakhdar Brahimi conseguiu convencer o regime de Damasmo a autorizar a saída de mulheres e crianças de Homs.
O mediador internacional Lakhdar Brahimi conseguiu convencer o regime de Damasmo a autorizar a saída de mulheres e crianças de Homs. REUTERS/Jamal Saidi

O governo sírio autorizou neste domingo (26) que mulheres e crianças deixem a cidade sitiada de Homs. Os rebeldes reagiram com ceticismo ao anúncio, que é visto como o primeiro avanço concreto desde o início da conferência de paz sobre a Síria em Genebra. Os participantes da reunião devem discutir a transição política no país a partir desta segunda-feira.

Publicidade

Depois de dois dias de discussões inéditas entre os membros do governo sírio e da oposição, o mediador das Nações Unidas e da Liga Árabe Lakhdar Brahimi conseguiu obter dos representantes de Damasco uma promessa de que as mulheres e crianças bloqueadas em Homs serão autorizadas a deixar o centro histórico sitiado a partir desta segunda-feira. Bastião dos rebeldes, a cidade está cercada desde julho de 2012 pelas forças do regime. O anúncio feito por Brahimi foi confirmado pelo vice-ministro sírio das Relações Exteriores, Fayçal Moqdad.

Mas a autorização concedida pelo governo, vista como o primeiro avanço concreto desde o início do conflito que já matou mais de 130 mil pessoas em quase três anos de duração, foi recebida com ceticismo pela oposição no país. “Nós pedimos grandes quantidades de alimentos e material médico e queremos a garantia de que mulheres, crianças e feridos retirados das zonas rebeldes sitiadas em Homs não serão detidos” quando estiverem deixando a cidade, disse o porta-voz da Comissão geral da revolução, uma rede de militantes sírios.

Ajuda humanitária

Brahimi espera que as negociações também avancem no que diz respeito ao envio de ajuda humanitária ao país. “Os comboios estão prontos, o governador (de Homs) deve falar com seus conselheiros e com Damasco, e esperamos que algo seja decidido nesta segunda-feira”, disse o mediador internacional.

Neste início de semana as discussões em Genebra devem entrar na fase mais delicada do debate : a questão da transição política no país. Enquanto a oposição exige a saída do poder do presidente Bashar al-Assad, o regime de Damasco propõe um governo de união ampliado, com a presença do chefe de Estado.
 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Faça o download da aplicação

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.