Acesso ao principal conteúdo
Israel/Palestina/Trégua

Israel e o Hamas aceitam cinco horas de trégua humanitária

Mais de 200 casas de palestinos foram destruídas pelos bombardeios israelenses.
Mais de 200 casas de palestinos foram destruídas pelos bombardeios israelenses. REUTERS/Mohammed Salem

A pedido das Nações Unidas, o governo de Israel e as autoridades do Hamas aceitaram uma trégua humanitária de cinco horas de duração na Faixa de Gaza na manhã desta quinta-feira (17). A ofensiva israelense na região já fez mais de 200 mortos em menos de dez dias. Na quarta-feira, um bombardeio matou quatro crianças palestinas em uma praia.

Publicidade

O cessar-fogo, previsto para durar cinco horas, deve permitir que palestinos feridos sejam removidos e que a população possa sair às ruas para comprar comida e produtos de primeira necessidade. Israel se comprometeu a respeitar a trégua, mas avisou que reagirá imediatamente se o Hamas lançar foguetes contra o território hebreu.

Ontem, pouco antes do início do cessar-fogo, as forças de Israel bombardearam intensamente o enclave palestino. O primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, declarou que iria continuar a ofensiva até que seu objetivo fosse atingido. “Mobilizaremos todas as forças necessárias para restaurar a calma dos moradores de Israel”, disse o premiê.

O Hamas lançou 130 foguetes contra o território israelense apenas na quarta-feira, e Israel interceptou 13 combatentes do Hamas que tentavam entrar no país através de um túnel na fronteira. Segundo o último balanço, 230 pessoas morreram do lado palestino, que teve 259 casas destruídas, e apenas uma vítima fatal foi registrada do lado de Israel. 

A quarta-feira também foi marcada pelo lançamento de dois morteiros por Israel, que atingiram um grupo de crianças em uma praia de Gaza, diante dos olhos de vários jornalistas. Quatro menores, com idades entre 9 e 11 anos, todos primos, morreram. Pelo menos cinco outras crianças ficaram feridas. O Exército israelense abriu uma investigação sobre o episódio e um porta-voz das Forças Armadas admitiu que houve um trágico erro de identificação do alvo.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Faça o download da aplicação

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.