Acesso ao principal conteúdo
África/ epidemia

Centro de isolamento de pacientes com Ebola é atacado; 20 fogem

Soldados monitoram entradas de Bomi, na Libéria.
Soldados monitoram entradas de Bomi, na Libéria. REUTERS/Sabrina Karim

Homens armados atacaram um centro de isolamento para pacientes com o vírus Ebola em Monrovia, capital da Libéria. A confusão provocou a fuga de 20 pessoas infectadas com o vírus, altamente contagioso.

Publicidade

"Eles arrombaram as portas e saquearam o local. Todos os pacientes fugiram", afirmou Rebecca Wesseh, uma testemunha do incidente, ocorrido na madrugada deste domingo (17).

As declarações foram confirmadas por outros habitantes e pelo secretário-geral dos trabalhadores da saúde na Libéria, George Williams. De acordo com ele, 29 pacientes com Ebola estavam internados neste centro, onde recebiam tratamento antes de serem transferidos para hospitais.

"Os testes de todos deram positivo para Ebola", indicou, acrescentando que nove morreram. Três dos pacientes foram levados à força por parentes e os demais 17 escaparam e estão em locais desconhecidos.

Negação

Os agressores, em sua maioria jovens armados com pedaços de pau, entraram aos gritos no centro, instalado em uma escola no subúrbio de Monróvia, segundo Wesseh. Os invasores gritaram palavras hostis à presidente da Libéria, Ellen Johnson Sirleaf, e diziam que "não há Ebola" no país.

O bairro onde se encontra a escola é considerado um dos epicentros da epidemia do vírus na Libéria. Os moradores protestaram contra a instalação do centro no local.

Em cinco meses, a epidemia de Ebola, a pior desde o surgimento da febre hemorrágica em 1976, causou 1.145 mortes, de acordo com o último balanço da Organização Mundial da Saúde (OMS). Do total, 413 pessoas morreram na Libéria, 380 na Guiné, 348 em Serra Leoa e quatro na Nigéria.
 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Faça o download da aplicação

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.