Acesso ao principal conteúdo
Ebola/África ocidental

Coordenador da ONU vai à África avaliar propagação do Ebola

Em quarentena, os moradores do bairro de West Point, na capital Monróvia, enfrentaram a polícia nesta quarta-feira (20).
Em quarentena, os moradores do bairro de West Point, na capital Monróvia, enfrentaram a polícia nesta quarta-feira (20). REUTERS/2Tango

O coordenador da ONU no combate ao Ebola, David Nabarro, começa nesta quinta-feira (21) uma viagem na África ocidental para avaliar a propagação da epidemia. Junto a integrantes da Organização Mundial da Saúde (OMS), o representante das Nações Unidas vai visitar os quatro países mais atingidos pela doença e oferecer apoio aos setores de saúde locais.

Publicidade

Nabarro chegou ontem à noite a Dakar, no Senegal, de onde partirá para as quatro nações africanas afetadas pela epidemia do vírus Ebola: Libéria, Serra Leoa, Guiné e Nigéria. O coordenador da ONU também pretende mobilizar 7.500 soldados na Libéria, onde dois bairros da capital Monróvia foram colocados sob quarentena, apesar da resistência da população.

Cercados por militares e policiais armados, os habitantes do bairro de West Point reagiram jogando pedras contra as forças de segurança nesta quarta-feira. Quatro moradores foram feridos a bala durante os confrontos com a polícia. O tumulto começou quando os agentes tentaram retirar uma representante do Estado que vive no bairro com sua família.

No resto do mundo, viajantes originários de um dos países afetados e que mostram sintomas parecidos com os do Ebola são colocados em isolamento. Até agora, nenhum caso foi registrado fora dos quatro países atingidos.

Pânico em todo o mundo

Apesar de a epidemia de Ebola estar restrita a quatro países da África ocidental, o pânico causado pela doença já se espalhou por todo o mundo. As nações vizinhas estão fechando suas fronteiras, muitas companhias aéreas suspenderam os voos para os países atingidos e os viajantes que chegam dessas áreas são submetidos a controles rigorosos.

Segundo o último balanço da Organização Mundial da Saúde, que contabilizou as mortes até 18 de agosto, a epidemia fez até agora 1.350 vítimas fatais.

Suspensão de voos

O sindicato dos funcionários da Air France lançou uma petição pedindo a suspensão dos voos para os países da África Ocidental atingidos pela epidemia. A companhia aérea nacional francesa é uma das poucas que ainda voam para Conakry, Lagos e Freetown, mas vários membros da tripulação estão se recusando a embarcar em voos para essas cidades.

Somente as companhias aéreas nacionais do Marrocos, da Bélgica e da França continuam voando para Serra Leoa. Camarões fechou todas as suas fronteiras com a vizinha Nigéria.

Desde ontem, o Quênia proíbe a entrada em seu território de cidadãos de Serra Leoa, Libéria e Guiné. A Zâmbia fechou suas fronteiras a todos os países atingidos pelo vírus. Eventos esportivos e conferências políticas estão sendo cancelados em todo o continente.

selfpromo.newsletter.titleselfpromo.newsletter.text

selfpromo.app.text

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.