Acesso ao principal conteúdo
Esplanada das Mesquitas/Israel

Israel reabre Esplanada das Mesquitas, em Jerusalém

Confrontos entre jovens palestinos e forças policiais perto da Esplanada das Mesquitas, em Jerusalém, 30/10/2014.
Confrontos entre jovens palestinos e forças policiais perto da Esplanada das Mesquitas, em Jerusalém, 30/10/2014. REUTERS/Ammar Awad

Depois de fechar a Esplanada das Mesquitas, em Jerusalém, durante toda a quinta-feira (30), a polícia israelense decidiu ordenar a reabertura do local, a partir de meia noite de sexta-feira. No entanto, homens com mais de 50 anos continuam proibidos de ter acesso à área.

Publicidade

O fechamento ocorreu após a polícia abater um palestino suspeito de ter atirado contra um extremista de direita, na véspera. Durante todo o dia hoje, jovens palestinos trocaram pedras e bombas de efeito moral com a polícia nos bairros de Abou Tor e Silwan, perto da esplanada.

A Esplanada abriga o terceiro local sagrado do islamismo, depois de Meca e Medina, na Arábia Saudita. O espaço é igualmente venerado pelos judeus, que o chamam de Monte do Templo. Os não muçulmanos podem visitar a área, mas os judeus não estão autorizados a rezar no local para evitar confrontos. A decisão de reabrir o local acontece às vésperas das orações muçulmanas de sexta-feira.

Guerra

O presidente palestino, Mahmoud Abbas, chamou o fechamento de “declaração de guerra aos palestinos e aos muçulmanos”, por parte de Israel.

Para analistas, o risco de aumentar a tensão entre palestinos e israelenses era muito grande caso Israel mantivesse a esplanada fechada. O clima é tenso em Jerusalém Oriental há alguns meses, com uma escalada da violência na última semana, o que traz temores de uma terceira Intifada.
 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Faça o download da aplicação

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.