Acesso ao principal conteúdo
Iraque/jihadistas

Grupo Estado Islâmico divulga imagens de execução de membros de tribo sunita

Bombardeios em Kobani em 22 de outubro
Bombardeios em Kobani em 22 de outubro REUTERS/Kai Pfaffenbach

Os jihadistas do grupo Estado Islâmico executaram mais de 200 membros da tribo sunita de Al-Bunimer, na província de Al-Anbar, no oeste do Iraque. O vídeo do massacre foi divulgado na madrugada desta segunda-feira(3), mas não se sabe qual foi a data exata da execução.

Publicidade

As imagens foram divulgadas pelo próprio grupo ultrarradical. Elas foram captadas logo após as execuções, que mostram corpos de cerca de trinta homens estirados em uma rua coberta de sangue. Entre os mortos, há também mulheres e crianças, que foram executados ao longo dos últimos dez dias.

Al-Bunimer foi uma das tribos que se engajou na luta armada para evitar o avanço dos jihadistas, que controlam amplos setores da província de Al-Anbar, de Bagdá até a Síria. De acordo com um chefe tribal da região, dezenas de membros da tribo Jubur, também hostil à organização terrorista, foram sequestrados pelo grupo.

Festa xiita aumenta riscos de atentados

Conforme se aproxima a Ashura, uma das principais festas chiitas que acontece nesta terça-feira, as autoridades temem o aumento da violência. Vinte e quatro chiitas morreram no sábado na região de Bagdá e 19 no domingo, em dois atentados com carros-bomba contra tendas que abrigavam peregrinos a caminho da capital.

Em Kobani, na fronteira síria com o Iraque, cerca de 150 peshmergas, como são chamados os combatentes curdos iraquianos continuavam se preparando no domingo para participar da defesa da cidade, cercada há seis semanas por combatentes do grupo Estado Islâmico.

A chegada deles e de sua artilharia devem ajudar os 1500 a 2000 membros das milícias curdas que seguem na luta contra uma força jihadista duas vezes mais numerosa. Ontem, novos combates foram registrados.
 

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.