Acesso ao principal conteúdo
Vídeo/Al-Qaeda

Em vídeo, Al-Qaeda ameaça executar jornalista americano

O fotojornalista Luke Somers, de 33 anos, foi capturado pela Aqpa há mais de um ano no Iêmen.
O fotojornalista Luke Somers, de 33 anos, foi capturado pela Aqpa há mais de um ano no Iêmen. Reprodução vídeo

A Aqpa, braço da Al-Qaeda na Península Arábica, divulgou um vídeo no qual ameaça executar um refém norte-americano, o fotojornalista Luke Somers, de 33 anos, sequestrado há mais de um ano no Iêmen. A revelação foi feita nesta quinta-feira (4) pelo grupo de vigilância de sites fundamentalistas islâmicos SITE.

Publicidade

Nas imagens, um dos líderes da Aqpa, Nasser Ben Ali Al Ansi, diz que, caso os Estados Unidos não respondam às exigências do grupo nos próximos três dias, Somers será morto. Al Ansi não revela quais são as reivindicações da AQPA, mas afirma que Washington já as conhece.

O vídeo foi publicado no YouTube. A gravação mostra Somers, que se identifica e diz ter sido capturado há mais de um ano. Ele faz um apelo por “qualquer tipo de ajuda” que possa salvá-lo.

No mesmo material, Al Ansi critica a política estrangeira do presidente americano Barack Obama. Segundo ele, os Estados Unidos semearam a morte e massacraram os países muçulmanos.

“O governo dos Estados Unidos tem três dias, a partir da publicação deste vídeo, para cumprir nossas reivindicações, que eles já sabem quais são. Caso contrário, o refém americano vai ter um fim inevitável”, ameaça.

Resgate falhou

No fim de novembro, o exército iemenita, apoiado por militares americanos, realizou uma operação contra a Aqpa na província de Hadramout, no sudeste do país. O objetivo era resgatar um grupo de reféns, do qual fazia parte Luke Somers, além de um britânico e um sul-africano. Mas, de acordo com o ministério da Defesa do Iêmen, a facção transferiu as vítimas para outro local, antes da chegada dos militares.

Os Estados Unidos consideram a Aqpa como o braço mais perigoso da Al-Qaeda. Washington é o principal aliado do Iêmen na luta contra o terrorismo e tem autorização para realizar ataques aéreos contra os extremistas do país.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.