Acesso ao principal conteúdo
Filipinas/Tufão

Após passagem do tufão Hagupit, 1 milhão de pessoas deixam suas casas nas Filipinas

A passagem do tufão Hagupit pela costa das Filipinas deixa milhares de desabrigados.
A passagem do tufão Hagupit pela costa das Filipinas deixa milhares de desabrigados. AFP PHOTO/TED ALJIBE

O poderoso tufão Hagupit atingiu neste domingo (7) o centro das Filipinas. Na região, mais de 1 milhão de pessoas tiveram que deixar suas casas. O país ainda não se recuperou totalmente da passagem do supertufão Hayian há um ano que deixou pelo menos 7 mil mortos.

Publicidade

Os ventos intensos acompanhados de fortes chuvas foram a marca da passagem do tufão Hagupit pelo centro das Filipinas. Rajadas de ventos de 170 km/h derrubaram árvores e destruíram a fiação elétrica. Nas mesmas regiões que já haviam sido atingidas pelo supertufão Haiyan no ano passado, os serviços de comunicação também foram prejudicados.

Até o momento, os prejuízos parecem menores do que os da catástrofe natural de 2013, mas as autoridades enfatizam que não se deve subestimar o problema causado por Hagupit. Em muitas áreas afetadas, o acesso ainda permanece difícil, o que prejudica uma avaliação completa da situação.

1.500 abrigos para as vítimas do tufão

Nas áreas atingidas pelo tufão, as casas são feitas com materiais leves que foram rapidamente destruídos pelo vento. Os telhados de sapê foram projetados a vários metros de distância, o que levou milhares de pessoas a procurarem refúgio.

Hagupit, que teve inicialmente sua potência classificada na quinta e última categoria, perdeu força e atingiu as Filipinas, neste domingo, já rebaixado para a segunda categoria. Amanhã, ele atinge a ilha de Sibuyan, mas não deve chegar à capital Manila que fica mais ao norte do país.

Na rota de destruição, Hagupit passou pela província de Samar e Leyte assim como ao sul de Luzon, a principal ilha do arquipélago filipino. Segundo uma rádio local, cinco pessoas morreram nas províncias de Samar e Iloilo. Essas informações não foram confirmadas oficialmente.

O exército filipino mobilizou 2 mil homens para a limpeza das estradas e para ajudar da distribuição de alimentos e produtos de primeira necessidade. Gwendolyn Pang, secretário-geral da Cruz Vermelha, disse que 1,2 milhão de pessoas estão instaladas em 1.500 abrigos instalados em igrejas, escolas e ginásios de esporte.

 

 

 

 

 

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.