Acesso ao principal conteúdo
Austrália/Violência

Sequestrador mantém grupo de reféns em cafeteria na Austrália

Alguns reféns conseguiram escapar e correram em direção aos policiais após deixarem o café onde acontece o sequestro.
Alguns reféns conseguiram escapar e correram em direção aos policiais após deixarem o café onde acontece o sequestro. REUTERS/Jason Reed

Um homem armado mantém dezenas de reféns em um café em Martin Place, em Sydney, desde as 10h da manhã de hoje, no horário local, 21 horas, em Brasília. As informações ainda estão desencontradas. Cinco pessoas deixaram a cafeteria até o momento, mas outras 30 ainda podem estar em poder do sequestrador.

Publicidade

A polícia da Austrália informou estar negociando com o sequestrador armado que invadiu na manhã desta segunda-feira, pelo horário local, uma cafeteria no centro financeiro de Sydney. O homem ainda não identificado.

Imagens de câmeras instaladas em frente à cafeteria mostram que o sequestrador é um homem branco, que usa uma barba,  um lenço na cabeça e está com uma arma de fogo. Ele invadiu o local com uma bandeira preta onde se lê em árabe "Não há outro Deus que Alá e Maomé é o mensageiro de Deus", a profissão de fé do islamismo.

O sequestrador pediu uma bandeira do grupo Estado Islâmico e também para falar por telefone com o primeiro-ministro australiano Tony Abbott. Disse ainda que instalou quatro bombas em vários locais de Sidney. Prédios próximos da cafeteria foram evacuados por medida de segurança, assim como a Ópera de Sidney e o consulado dos Estados Unidos.

Em um breve pronunciamento, o primeiro-ministro australiano evitou falar em ato terrorista. Ele afirmou desconhecer as intenções do sequestrador, embora tudo indique que o sequestro tem motivações políticas. Mas não está descartado que o homem seja um desequilibrado mental.

Homem armado faz reféns em uma loja em Sydney na Austrália.
Homem armado faz reféns em uma loja em Sydney na Austrália. REUTERS/Reuters TV via Seven Network/Courtesy Seven Network

Cinco conseguiram fugir

Cinco pessoas saíram da cafeteria de Sydney. Não está claro se elas escaparam ou foram libertadas pelo sequestrador.

Autoridades policiais que negociam com o sequestrador disseram que não vão dar detalhes sobre as exigências do homem, por um questão estratégica. A maior parte das informações obtidas até agora vem dos próprios reféns, que postam mensagens nas redes sociais, aparentemente com consentimento do sequestrador.

A Austrália está sob ameaça terrorista há vários meses, desde que se aliou aos Estados Unidos na coalizão internacional de combate ao grupo extremista Estado Islâmico no Iraque e na Síria.

Luciana Fraguas, correpondente da RFI na Austrália

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.