Acesso ao principal conteúdo
Voo QZ8501/AirAsia

Avião da AirAsia pode ter aterrissado no mar de Java antes de afundar

Equipes de busca ainda não recuperaram as caixas pretas do QZ8501, que revelarão as causas do acidente.
Equipes de busca ainda não recuperaram as caixas pretas do QZ8501, que revelarão as causas do acidente. REUTERS/Darren Whiteside

Especialistas em aviação anunciaram nesta quinta-feira (1°) que o piloto do Airbus A320-200 da AirAsia pode ter tentado fazer uma manobra de emergência antes da queda da aeronave. O comandante de bordo teria conseguido pousar no mar de Java, na área onde os destroços do aparelho e corpos foram encontrados.

Publicidade

Segundo o editor da revista indonésia de aviação Angkasa, Dudi Sudibyo, o trasmissor de localização de urgência (ELT) deveria funcionar em caso de impacto, independentemente do tipo de superfície. O mecanismo não teria sido acionado porque o choque não foi suficientemente violento, aponta o especialista. “Isso significa que o piloto conseguiu pousar na água”, garante Sudibyo.

Em entrevista à AFP o piloto aposentado Chappy Hakim é mais cauteloso em falar sobre a possibilidade do pouso na água. “As conclusões às quais cheguei até agora é que o avião não explodiu e não foi vítima de um forte impacto, porque, neste caso, os corpos não estariam intactos”, aponta.

Passageiros tentaram sair

Embora ainda não tenha sido retirada do Mar de Java, a aeronave também deve estar intacta, já que, graças a sua sombra, ela foi identificada e encontrada. Objetos que pareciam ser um tobogã inflável, utilizado em evacuações de urgência, e a porta de uma saída de emergência foram encontrados no local onde caiu o avião. Isso significaria, para muitos especialistas, que alguns passageiros haviam começado a sair do avião.

O antigo ministro indonésio dos Transportes, Jusman Syafii Djamal, está convencido de que a descoberta da porta da saída de emergência indica que “alguém a abriu”. Para ele, os passageiros podem ter conseguido inflar o colete salva-vidas antes de terem sido atingidos por uma grande onda, já que havia uma tempestade na região e o mar estava revolto. “As ondas podem ter afundado o avião”, acredita Djamal.

Causas do acidente

O Airbus da AirAsia voava a uma altitude de 9,8 mil metros com 162 pessoas a bordo, no último domingo (28), quando o piloto fez o pedido à torre de controle de Surubaya, de onde decolou, para mudar de rota e evitar uma tempestade. Ele foi autorizado a desviar o trajeto do voo, mas não imediatamente, devido ao intenso tráfego aéreo no local. Momentos depois, o QZ8501 não era mais registrado pelos radares.

Alguns especialistas apontaram que o avião caiu porque voava em baixa velocidade quando subiu bruscamente de altitude. Até o momento, a ausência de sinal de socorro do cockpit segue inexplicada.

As causas do acidente só serão estabelecidas quando as caixas-pretas forem encontradas. O material também deve revelar porque o mecanismo de localização submarina da aeronave também não funcionou.

selfpromo.newsletter.titleselfpromo.newsletter.text

selfpromo.app.text

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.