Acesso ao principal conteúdo
Turquia/Atentado

Turquia detém 22 ativistas após sequestro e morte de procurador

O procurador turco Mehmet Selim Kiraz, que foi feito refém por homens armados em um tribunal de Istambul, não resistiu aos ferimentos e morreu no hospital.
O procurador turco Mehmet Selim Kiraz, que foi feito refém por homens armados em um tribunal de Istambul, não resistiu aos ferimentos e morreu no hospital. REUTERS/Halkin Sesi TV/Handout via Reuters

A polícia da Turquia deteve nesta quarta-feira (1) 22 estudantes suspeitos de ligação com o grupo de extrema-esquerda que reivindicou o sequestro, ontem, do procurador Mehmet Selim Kiraz, em Istambul. Feito refém durante mais de seis horas por dois ativistas armados, o procurador turco e os dois sequestardores foram mortos quando a polícia entrou no tribunal.

Publicidade

Os estudantes presos na manhã de hoje, na cidade de Antalya, no sul da Turquia, seriam militantes da Frente Partidária de Libertação do Povo Revolucionário (DHKP-C, na sigla em turco), um grupo marxista clandestino, responsável por vários atentados desde os anos 90.

A polícia turca decidiu agir depois de receber informações de que o grupo preparava novos ataques. O procurador morto investigava as circunstâncias da morte de um adolescente, atingido por uma bomba de gás lacrimogênio, durante uma manifestação contra o governo em junho de 2013. O magistrado foi baleado três vezes na cabeça e duas no corpo. Ele chegou a ser transportado para um hospital, mas morreu no local.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.