Acesso ao principal conteúdo
Corredor da morte/Indonésia

Única mulher da "lista da morte", Mary Jane aguarda execução na Indonésia

Protestos contra a possível execução da filipina Mary Jane Veloso do lado de fora do consulado indonésio em Hong Kong, nesta segunda-feira, 27 de abril de 2015.
Protestos contra a possível execução da filipina Mary Jane Veloso do lado de fora do consulado indonésio em Hong Kong, nesta segunda-feira, 27 de abril de 2015. REUTERS/Bobby Yip

A Indonésia confirmou nesta segunda-feira (27) a execução de oito estrangeiros e um indonésio condenados à morte por tráfico de drogas. Um dos últimos recursos rejeitados foi o do presidente das Filipinas, Benigno Aquino. Ele teve negado o pedido a Jacarta para poupar a vida de Mary Jane Veloso, de 30 anos.

Publicidade

O presidente da Indonésia, Joko Widodo, havia dito que examinaria o pedido mas, em seguida, o Ministério Público anunciou que a clemência não era possível.

Em 2013, a Indonésia voltou a fuzilar prisioneiros por tráfico de drogas, depois de 5 anos sem executar as penas capitais. Há mais de 130 prisioneiros no corredor da morte no país, que não é exceção no sudeste asiático quando o assunto são as drogas. Além da Indonésia, na Malásia, em Singapura, na Tailândia e no Vietnã o tráfico e até a posse de pequenas quantidades de droga são passíveis de morte.

Mary Jane é a única mulher da lista de condenados com a execução anunciada para esta semana por Jacarta. Os demais são dois australianos, três nigerianos, um ganense, um indonésio e o brasileiro Rodrigo Muxfeldt Gularte. O governo deve confirmar a data dos fuzilamentos nesta terça-feira (28).

Empregada doméstica na Indonésia

Mãe de dois meninos, a filipina Mary Jane Veloso viajou à Indonésia para trabalhar como empregada doméstica. Ela alega que foi enganada por um cartel internacional de drogas e que não sabia que transportava 2,6 quilos de heroína no forro da mala emprestada. A droga teria sido ocultada por um amigo da família, integrante da organização criminosa.

Mary Jane está presa desde 2010. Diante da embaixada da Indonésia em Manila, capital das Filipinas, manifestantes protestam contra a execução. A família dela prossegue com as súplicas às autoridades, insistindo na inocência da prisioneira.

A partir de um apelo da mãe da condenada, o campeão de boxe Manny Pacquiao aderiu ao coro que pede clemência para a filipina. Em vídeo, ele se dirige ao presidente indonésio para que poupe a vida da compatriota. “Eu imploro a seu bom coração para que salve a vida dela”, declarou o esportista, que treina nos Estados Unidos, diante das câmeras do canal filipino GMA News TV.

Na reportagem da France 24, TV parceira da RFI, o pai de Mary Jane Veloso conta que a família foi ameaçada pelo cartel das drogas

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.