Acesso ao principal conteúdo
Morte/Mokhtar Belmokhtar

Jihadista que atacou refinaria na Argélia é morto pelos EUA

O jihadista argelino Mokhtar Belmokhtar, em foto de arquivo.
O jihadista argelino Mokhtar Belmokhtar, em foto de arquivo. REUTERS

O jihadista argelino Mokhtar Belmokhtar foi morto em um bombardeio norte-americano no leste da Líbia. O Pentágono confirmou nesta segunda-feira (15) a informação revelada pelo governo líbio.

Publicidade

A operação foi realizada no sábado, segundo fontes oficiais do Departamento norte-americano de Defesa. O ataque foi feito por aviões F15 Strike Eagle, aeronaves que pertencem à base de Lakenheath, no Reino Unido.

Ex-chefe do grupo AQMI, o braço da rede Al-Qaeda no norte da África, Belmokhtar comandava o grupo jihadista Al-Murabatim e era procurado por vários países. Ele era considerado o autor intelectual do ataque contra uma refinaria de gás na Argélia, em 2013, que resultou na morte de 38 reféns, entre eles, três norte-americanos.

Diferente da operação contra o jihadista Ahmed Abou Khattala, capturado no ano passado na Líbia, especialistas apontam que o objetivo do ataque seria "eliminar o alvo" e não prendê-lo. Há vários anos ele era procurado pelos Estados Unidos.

Morte anunciada em 2013

Essa não é a primeira vez que a morte do jihadista argelino é anunciada. Durante a operação Serval, no Chade, em abril de 2013, o exército do país informou ter eliminado Belmokhtar. Mas, no mês seguinte, o extremista reivindicava um duplo atentado que deixou cerca de 20 mortos no Níger.

Nas redes sociais, jihadistas anunciaram sete mortos no bombardeio norte-americano de sábado. A página no Facebook de um grupo radical de Ajdabiya, na Líbia, publicou fotos de corpos e o nome das pessoas mortas no ataque, entre os quais não consta Belmokhtar.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.