Acesso ao principal conteúdo
Política/ Turquia

Turquia ataca posições do Partido dos Trabalhadores do Curdistão

Caça F-16 turco  descola da base de Incirlik  no dia 28 de Julho de 2015 .
Caça F-16 turco descola da base de Incirlik no dia 28 de Julho de 2015 . REUTERS/Murad Sezer

A agência Anatolia divulgou neste sábado o balanço da campanha de bombardeamentos da força aérea turca, visando essencialmente o Partido dos Trabalhadores do Curdistão, no norte do Iraque.

Publicidade

          

Segundo a agência noticiosa turca, Anatolia, cerca de 260 membros do PKK(Partido dos Trabalhadores do Curdistão) morreram e centenas ficaram feridos , durante a campanha de bombardeamentos no norte do Iraque, iniciada no princípio da semana pela força aérea da Turquia .

Entre os membros do PKK mortos está Neruttin Demirtas, irmão do líder do pró- curdo, Partido Popular Democrático, Selahattin Demirtas, segundo também a Anatolia.

O PKK não confirmou o número de vítimas divulgado pela agência oficial turca, referindo-se à algumas perdas no seio do movimento.   A Turquia decidiu , após um acordo com os Estados Unidos e outros membros da NATO, participar efectivamente na coligação que combate contra os jiadistas do grupo Estado Islâmico, na Síria.Os analistas consideram que as autoridades de Ancara aproveitaram a oportunidade, sobretudo para atacar o seu velho inimigo,o Partido dos Trabalhadores do Curdistão, como o confirma a actual ofensiva aérea turca . O presidente da região curda iraquiana, Massud Barzani, afirmou que o PKK deve pôr um termo as suas actividades militares no norte do Iraque , para evitar que os curdos iraquianos sejam vítimas dos ataques da Turquia.  Reagindo aos bombardeamentos turcos, o ministro dos negócios estrangeiros alemão, Frank-Walter Steinmeier, apelou a Turquia a não pôr em perigo os laços contraídos no decurso das  últimas  décadas com a minoria curda do país. A actual campanha turca, põe em causa o cessar-fogo assinado com o Partido dos Trabalhadores do Curdistão em 2013.                          

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.