Acesso ao principal conteúdo
Guatemala

Comediante vence primeira volta na Guatemala

Jimmy Morales, lidera a primeira volta das eleições para presidente na Guatemala
Jimmy Morales, lidera a primeira volta das eleições para presidente na Guatemala REUTERS/Jorge Dan Lopez

Na Guatemala resultados provisórios da primeira volta das eleições dão vitória ao comediante e animador de televisão, Jimmy Morales, que lidera a contagem dos votos com 26,5%. A segunda volta tem lugar no próximo dia 25 de Outubro.  

Publicidade

O resultado desta primeira volta é já vista com um voto de punição e espera "sacudir" um sistema corrupto que conduziu à detenção preventiva do antigo chefe de Estado. Otto Pérez Molina, apresentou demissão na semana passada, está a ser julgado por suspeita de corrupção.

Os resultados provisórios da primeira volta dão vitória ao candidato de direita, o comediante e animador de televisão, Jimmy Morales, que lidera a contagem dos votos com 26,5%, numa altura em que foram contados 71% dos votos.

Segunda volta a 25 de Outubro

Contudo permanece a dúvida sobre o adversário que vai disputar a segunda volta no próximo mês de Outubro. As escolhas recaem sobre o homem de negócios Manuel Baldizon do partido Liberdade Democrática até ao momento com 18,63%- e a ex-primeira dama Sandra Torres apoiada pela União Nacional para e Esperança com 17,91%. Baldizón, o favorito até há pouco tempo, terá sido penalizado por escândalos de corrupção que visam o seu candidato a vice-Presidente e seis deputados do seu partido.

Segundo o Supremo Tribunal Eleitoral a taxa de participação nada à volta dos 70%, muito próxima da que foi verificada em 2011.

Da fixão à realidade

Conhecido pelo personagem naif de "Neto" que se torna presidente por acidente, Jimmy Morales vingou na cena política, nos últimos meses, mas sem ter um programa concreto. Um fenómeno que na opinião de Cecil de León se deve à conjuntura política. "Jimmy surgiu como um novo fenómeno, sem passado nos partidos políticos ou em cargos públicos".

População exige reformas

Segundo dados do Banco Mundial, cerca de 53,7% da população da Guatemala vive abaixo do limiar da pobreza. Confrontadas com um sistema de educação e saúde arruinados, os guatemaltecos ficaram revoltados quando no passado mês de Abril ficou a conhecer o escândalo de corrupção que envolve altas figuras do Estado. Uma situação que originou um movimento de cidadãos sem precedentes que exigem uma reforma do sistema político para acabar com a corrupção endémica.

O presidente de transição, Alejandro Maldonado, apelou ontem a uma reforma da lei eleitoral e dos partidos antes da segunda volta.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.