Acesso ao principal conteúdo
Papa/Onu

Papa criticou na ONU exclusão e casamento gay

Papa discursando na assembleia geral da ONU, em Nova Iorque, a 25 de septembro de 2015.
Papa discursando na assembleia geral da ONU, em Nova Iorque, a 25 de septembro de 2015. REUTERS/Mike Segar

O Papa Francisco discursou esta sexta-feira na assembleia geral da ONU em Nova Iorque denunciando a exclusão, a poluição, o casamento gay e defendendo a diferença natural entre o homem e a mulher.

Publicidade

O Papa argentino Francisco discursou, esta sexta-feira, 25 de setembro, na assembleia geral anual da ONU, em Nova Iorque, nos Estados Unidos, pondo a tónica, nas causas da exclusão e da poluição, e criticando o casamento gay, o género, insistindo na diferença natural entre a mulher e o homem.

Recebido, como uma estrela na assembleia geral e pelo próprio secretário-geral da ONU, Ban Ki Moon, o Sumo Pontífice, igualmente, Chefe do estado do Vaticano, foi interrompido, várias vezes, com aplausos no seu discurso feito em castelhano.

Mesmo assim, o Papa não deixou de criticar os discursos sem qualquer efeito e as resoluções da ONU, que não têm em conta a realidade das pessoas, insistindo nos incontestáveis limites naturais éticos aos direitos individuais.

O Papa insistiu na diferença natural entre o homem e a mulher, alusão implícita à contracepção, mas também, criticou o género e o casamento homossexual.

O Papa Francisco, denunciou, igualmente, modelos de vida anormais, a proliferação de armas e de drogas, que matam milhões de pessoas.

O Sumo Pontífice Francisco que  é o quarto Papa a discursar na ONU, depois de Paulo VI, João Paulo II e Bento XVI, defendeu ainda uma casa comum mundial com direito ao trabalho, à habitaçao e à terra para todos.

 

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.