Acesso ao principal conteúdo
União Europeia

União Europeia quer acelerar repatriação de refugiados

REUTERS/Yannis Behrakis

A União Europeia quer acelerar o processo de repatriação dos migrantes sem direito a asilo. Os ministros da Administração Interna dos 28, reunidos hoje no Luxemburgo, comprometeram-se em reforçar as fronteiras exteriores. 

Publicidade

Na véspera das primeiras transferências de refugiados no seio da União Europeia, os 28 frisaram a sua firmeza, alegando reenviar de forma sistemática os migrantes económicos rumo aos seus países de origem, no que qualificam ser a "outra face da medalha da sua política" de asilo.

O ministro luxemburguês dos Negócios Estrangeiros afirmou que "os que não precisam de uma protecção internacional devem voltar para os países de origem".

E isto quando, esta sexta-feira, 20 refugiados eritreus serão transferidos de forma inédita da Itália rumo à Suécia.

São os primeiros de um grupo de 160.000 que deverão ser transferidos internamente para fazer face ao afluxo de centenas de milhar de migrantes ao velho continente.

Os europeus poderiam reprimir eventuais abusos do sistema de asilo e advogam ainda a implementação de um corpo de uma guarda-costeira europeia.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Faça o download da aplicação

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.