Acesso ao principal conteúdo
Mundo

Negociações sobre futuro do Reino Unido terminam

REUTERS/Dylan Martinez

Após uma noite de negociações inconclusivas no Conselho Europeu onde se debatem as propostas para voltar a enquadrar o Reino Unido, o primeiro-ministro britânico David Cameron reconhece a ausência de acordo e diz que só há entendimento se for alcançado o que Londres pretende.

Publicidade

No segundo dia das negociações particularmente árduas em Bruxelas, o primeiro-ministro britânico David Cameron vai tentar arrancar dos 27 parceiros europeus concessões para evitar um "Brexit", isto é uma saída do Reino Unido da União Europeia.

O presidente do Conselho Europeu, Donald Tusk, destacou que todos os lados estavam ainda no meio de “negociações muito difíceis e sensíveis”.

"As reuniões terminaram às cinco da manhã com alguns progressos, mas ainda não há acordo. Só teremos um acordo se conseguirmos o que o Reino Unido quer. Farei tudo o que puder", garantiu David Cameron esta sexta-feira, 19 de Fevereiro.

O principal objectivo de David Cameron é conseguir limitar a livre circulação de trabalhadores e reduzir as regalias sociais de estrangeiros no seu país.

"A partir do mês de Abril haverá algumas alterações e essas alterações estão em discussão" refere o sociólogo são-tomense Adalberto Cravide, nomeadamente, a questão relativa aos quatro anos; "o emigrante deve chegar, deve trabalhar, deve contribuir e justificar que veio realmente para contribuir para o desenvolvimento deste país".

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Faça o download da aplicação

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.