Acesso ao principal conteúdo
ESTADOS UNIDOS

Obama visita Orlando, cidade do massacre que fez 49 mortos

Obama diz que a deslocação serve para mostrar que "o país apoia a população de Orlando e toda a comunidade LGBT".
Obama diz que a deslocação serve para mostrar que "o país apoia a população de Orlando e toda a comunidade LGBT". REUTERS/Adrees Latif

Barack Obama desloca-se hoje a Orlando, cidade onde, na madrugada do passado domingo, teve lugar o massacre mais sangrento desde o 11 de Setembro nos Estados Unidos. Fez 49 mortos e 53 feridos.

Publicidade

A deslocação de Barack Obama serve nomeademente para mostrar "que o país apoia a população de Orlando e toda a comunidade LGBT". O presidente norte-americano é acompanhado pelo vice-presidente Joe Biden e vai falar com os familiares das vítimas assim como congratular as pessoas que agiram heroicamente durante o massacre. 

O massacre ocorreu na madrugada da passada segunda-feira numa discoteca em Orlando e foi entretanto reivindicado pelo Estado Islâmico. Entretanto, tem-se começado a saber cada vez mais acerca de Omar Mateen, autor do massacre. Ainda que os motivos não sejam claros, sabe-se nomeadamente que ia com frequência à discoteca, conhecida por ser frequentada por homossexuais.

A facilidade com que o terrorista, conseguiu obter as armas com que perpretou o ataque voltaram a lançar o debate sobre o acesso às armas nos Estados Unidos. A vontade de controlar este acesso tem sido uma das grandes vertentes da política de Barack Obama que ontem obteve um ligeiro avanço. O partido democrata conseguiu que um texto que procura limitar o acesso às armas por parte de pessoas suspeitas de ligações terroristas seja debatido no Senado. 

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Faça o download da aplicação

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.