Acesso ao principal conteúdo
Brexit

Brexit : Jean-Claude Juncker garante que o projecto europeu é para continuar

O presidente da comissão europeia, Jean-Claude Juncker, no Parlement européen a falar do « Brexit », 3 de fevereiro de 2016.
O presidente da comissão europeia, Jean-Claude Juncker, no Parlement européen a falar do « Brexit », 3 de fevereiro de 2016. REUTERS/Vincent Kessler

Os principais representantes das instituições europeias e chefes de Estado do continente reagiram hoje ao resultado do referendo britânico, em favor da saída do Reino Unido da União Europeia. 

Publicidade

Os presidentes das instituições europeias lamentam mas respeitam a decisão do povo britânico. Garantem que o projecto europeu é para continuar e que a Europa a 27 vai prosseguir.

A UE e o Reino Unido deverão começar agora um processo de negociações para a saída do país. Um processo que as instituições comunitárias querem começar o mais depressa possível, como explica o presidente da Comissão Europeia.

Jean-Claude Juncker declarou : “Esperamos agora que o governo do Reino Unido dê sequência tão cedo quanto possível a esta decisão do povo britânico, apesar de ser um processo penoso. Qualquer atraso poderia prolongar a incerteza de forma desnecessária”.

A saída de um estado membro da UE está prevista no Tratado. O Reino Unido deverá primeiro notificar os parceiros sobre essa intenção para depois começar a negociar as condições de saída.

Uma negociação que deverá ser longa. Depois deverá ainda estabelecer um novo tipo de relação com as 27 capitais dos estados membros.

Ninguém sabe ao certo o impacto de todo o processo. Essa é talvez a grande incógnita: o período de incerteza que se abre a partir de agora quer para o Reino Unido, quer para a EU.

Os chefes de Estado também reagiram aos resultados do referendo sobre o Brexit. O Presidente francês François Hollande chamou a União Europeia a "reafirmar os seus valores" e a empenhar-se num "necessário sobressalto porque para seguir em frente, a Europa já não pode fazer como antes".

O primeiro ministro do Reino Unido David Cameron anunciou hoje de manhã que iria demitir-se do seu cargo a partir do mês de Outubro. Com efeito, O chefe de Estado britânico não acha que possa assumir "o papel de capitão que levará o navio para o novo destino".

Angela Merkel considera o resultado do referendo como um "golpe para a Europa". A chanceler alemã também explicou que o destino da União Europeia, "nos próximos dias, meses, anos, vai depender do que nós, os restantes 27 da UE, formos capazes e estivermos dispostos a fazer".

Confira aqui a correspondência de Vasco Gandra, Bruxelas.

Correspondência de Vasco Gandra

 

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.