Acesso ao principal conteúdo
Política /Austrália

Legislativas australianas poderiam resultar em parlamento sem maioria

Malcolm Turnbull  quando  votava  em Sydney .02 de Julho de 2016
Malcolm Turnbull quando votava em Sydney .02 de Julho de 2016 REUTERS/David Gray

A aliança conservadora,Liberal-Nacional, liderada por Malcom Turnbull, de acordo com o apuramento dos votos já efectuado, poderia não obter os assentos necessários no parlamento australiano, para formar um governo de maioria . Malcom Turnbull e os seus partidários precisavam ganhar 76 dos 150 assentos da Câmara dos Representantes. Segundo o analista Antony Green, as estimativas apontam para 75 assentos à favor da coligação conservadora na anterior legislatura dispunha da maioria parlamentar.

Publicidade

 As eleições legislativas australianas poderiam resultar num parlamento sem maioria , uma vez que a coligação Liberal-Nacional liderada por Malcom Turnbull, que estava no poder em Canberra poderia não obter o número necessário de assentos para formar um governo de maioria conservadora. A coligação conservadora necessita de 76 lugares, mas segundo as estimativas, após o apuramento dos sufrágios efectuado em vários estados da Austrália, Malcom Turnbull e os seus partidários, obterão apenas 75.

O recuo dos conservadores no actual escrutínio deve-se nomeadamente à progressão dos seus rivais trabalhistas. As perspectivas são que o Partido Trabalhista australiano obtenha 70 assentos no novo parlamento e os restantes sejam repartidos pelos pequenos partidos bem como candidatos independentes. De acordo com os analistas australianos, os pequenos partidos e os candidatos independentes vão ter um papel determinante para a formação do novo governo.

  Perante o recuo considerável dos conservadores,a vice-presidente do Partido Trabalhista, Tanya Plibersek, pôs em causa a legitmidade do ex-banqueiro e multimilionário Malcom Turnbull de 61 anos, para formar um novo governo. Os trabalhistas que são representados pelo ex-sindicalista Bill Shorten de 49 anos perderam o poder em 2013. Shorten fez campanha, baseado numa plataforma de defesa dos interesses dos trabalhadores e das classes médias da Austrália. O líder trabalhista defendeu a melhoria do sistema de saúde e de educação,assim como a criação de mais empregos.

 Malcom Turnbull declarou-se favorável à uma política de asilo muito mais restritiva, comprometeu-se a efectuar um referendo sobre o casamento entre pessoas do mesmo sexo e propôs um programa de transição económica, visando diversificar a economia australiana dominada pelo sector mineiro . Durante a campanha, os eleitores designaram através das redes sociais como prioridades, a melhoria dos sistemas de saúde e de ensino, bem como a retoma da economia e o acesso à habitação.

                           

             

 

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.