Acesso ao principal conteúdo
Austrália

Coligação liberal e conservadora ganha legislativas na Austrália

Primeiro ministro da Austrália, Malcolm Turnbull, todo sorridente, anunciando a 10 de julho a vitória do seu partido nas legislativas de 2 de julho.
Primeiro ministro da Austrália, Malcolm Turnbull, todo sorridente, anunciando a 10 de julho a vitória do seu partido nas legislativas de 2 de julho. Reuters

O primeiro-ministro, australiano, Malcolm Turnbull, todo sorridente, anunciando a vitória do seu partido liberal, nas eleições legislativas,que ocorreram a 2 de julho, mas cujos resultados só foram conhecidos este domingo. 

Publicidade

O primeiro-ministro australiano cessante, Malcolm Turnbull, proclamou este domingo, 10 de julho, a vitória do seu partido liberal aliado ao campo conservador, nas eleições legislativas de 2 de julho, proclamação feita, logo depois de a oposição trabalhista admitir sua derrota. 

O anúncio do vencedor destas eleições, Malcolm Turnbull, põe fim à longa espera destes resultados, já que as eleições ocorreram a 2 de julho, portanto há 8 dias. 

É que logo no dia 2 de julho havia muita incerteza, com uma espécie de empate técnico e a recontagem dos votos continuou até este sábado à noite.

Agora está claro que o campo conservador ganhou, mas ainda nem a coligação conservadora, nem os trabalhistas de Bill Shorten, anunciaram uma maioria absoluta, que é de 76 lugares na nova Câmara dos representantes, e poder assim governar sem constrangimentos.

"Ganhámos a eleição, foi o que fizemos", declarou à imprensa, o primeiro-ministro cessante, Malcolm Turnbull, que tinha recebido momentos antes um telefonema do chefe dos trabalhistas, Bill Shorten, a "felecitá-lo por ter sido reeleito, como primeiro-ministro."

Malcolm Turnball, que dispunha duma confortável maioria, no anterior mandato, decidiu convocar novas eleições na Câmara baixa, para reforçar a sua presença no Senado.

O primeiro-ministro, queria também legitimar "o golpe" interno no seu Partido liberal, que lhe tinha permitido afastar em setembro Tony Abbot, de quem foi ministro.

Segundo a televisão pública, ABC, a coligação conservadora terá por ora, 74 assentos podendo ainda obter dois lugares sobre 5 que continuam incertos. 

De qualquer maneira, o líder dos trabalhistas, Bill Shorten, já fez declarações, dizendo estar disponível para viabilizar a governo do campo conservador, apesar de haver certos círculos no seu partido a prever um governo apertado com uma maioria relativa e crispações no Parlamento. 

Recorda-se que desde o governo do trabalhista, Kevin Rudd em 2007, após 10 anos de hegemonia do partido liberal de John  Howard, a Austrália tem vivida uma política muito movimentada, com uma valsa de primeiros-ministros.

Kevin Rudd, foi derrubado pelo trabalhista Julia Gillard em 2010, antes de regressar ao poder em 2013, e ceder o seu lugar de novo meses depois em eleições legislativas ao liberal Tony Abbott, que acabou por ser derrubado pelo colega, Malcolm Turnbull, actual líder do partido liberal e até agora primeiro-ministro.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.